domingo, 7
 de 
agosto
 de 
2022

Indústria paranaense tem o terceiro maior crescimento do país em julho

Indústria paranaense apresentou desempenho positivo no período analisado pelo IBGE. Foto: José Fernando Ogura/AEN
Paraná apresentou avanço de 3,3% no período, de acordo com a Pesquisa Industrial Mensal-Regional do IBGE. Apenas Bahia (6,7%) e Espírito Santo (3,7%) tiveram desempenho superior

A produção industrial do Paraná apresentou o terceiro maior crescimento do país no mês de julho, com um avanço de 3,3% de acordo com a Pesquisa Industrial Mensal-Regional (PIM-PF-Regional), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada ontem.

Conforme o levantamento, apenas Bahia (6,7%) e Espírito Santo (3,7%) tiveram desempenho superior no período. Em relação à Região Sul, Santa Catarina (-1,5%) e Rio Grande do Sul (-1,7%) apresentaram retração, acompanhando a média brasileira, que ficou em -1,3% no mesmo recorte.

Na avaliação do governador Carlos Massa Ratinho Junior, o resultado reflete as medidas adotadas para a retomada econômica em meio à pandemia. “Esses números são relevantes porque reforçam uma vez mais que as medidas tomadas pelo Governo do Estado para reaquecer a economia em razão da pandemia da Covid-19 surtiram efeitos. A retomada está realmente acontecendo, com a abertura de mais de 132 mil empregos com carteira assinada no ano e mais de R$ 50 bilhões em investimentos privados desde 2019,” destacou.

Na comparação com julho do ano passado, um dos períodos mais severos da pandemia, o crescimento da indústria do Paraná foi de 8,2%, novamente o terceiro melhor resultado do País, atrás somente de Espírito Santo (9,4%) e Minas Gerais (8,6%). Já no acumulado dos últimos 12 meses, houve crescimento de 11,5% em relação ao período exatamente anterior (julho de 2019 a agosto de 2020), o sexto principal desempenho do Brasil.

Ratinho Junior apontou outras ações visando fortalecer o setor. “Além de incentivar a chegada de novos investidores, nós como Estado buscamos favorecer, acabando com a burocratização da máquina pública, o que facilita a tomada de ações. O Paraná tem um bom ambiente para atrair investimentos”, ressaltou.

Mês a mês – O levantamento mensal revela que o crescimento foi impulsionado pelos bons resultados da fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias (83%); máquinas e equipamentos (52,6%), produtos de metal (18,5%), celulose, papel e produtos de papel (6,8%), produtos de minerais não-metálicos (3,9%) e produtos de madeira (2,9%). O incremento em julho acompanha a série de bons resultados alcançados pelo Estado ao longo dos últimos períodos analisados. Mês a mês, a expansão industrial foi de 8,2% em julho/2021; 7,5% em junho/2021; 23% em maio/2021; 54,3% em abril/2021; 16,9% em março/2021; 3,5% em fevereiro/2021; e 11,5% em janeiro/2021.

Nacional – Apresentando queda de 1,3% da indústria nacional de junho para julho de 2021, na série com ajuste sazonal, sete dos 15 locais pesquisados pelo IBGE apresentaram taxas negativas, com destaque para o Amazonas (-14,4%). São Paulo (-2,9%), Minas Gerais (-2,6%), Pará (-2,0%), Rio Grande do Sul (-1,7%), Santa Catarina (-1,5%) e Rio de Janeiro (-1,4%) completaram o conjunto de locais com recuo na produção nesse mês. A Bahia (6,7%) apontou a maior alta nesse mês, enquanto Espírito Santo (3,7%), Região Nordeste (3,4%), Paraná (3,3%), Pernambuco (2,5%), Ceará (1,5%), Mato Grosso (1,1%) e Goiás (0,8%) assinalaram os demais resultados positivos. No comparativo a julho de 2020, o setor industrial nacional cresceu 1,2%.

 



Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email