segunda-feira, 14
 de 
junho
 de 
2021

Pelo oitavo mês consecutivo, produção industrial cresce no Paraná

Produção industrial paranaense de dezembro fechou com números positivos. Foto: Geraldo Bubniak/AENO Paraná fechou o mês de dezembro de 2020 com crescimento de 2,8% na produção industrial em relação a novembro, oitavo mês consecutivo com resultado positivo, superando a queda do período mais restritivo da pandemia do novo coronavírus. Os dados fazem parte da Pesquisa Industrial Mensal (PIM), divulgada na última terça-feira, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O índice supera o resultado do Brasil, que teve crescimento médio de 0,9% em dezembro. Dos 15 locais pesquisados, 11 apresentaram saldo positivo no último mês de 2020, e o Paraná se saiu melhor que os outros estados do Sul. A indústria de Santa Catarina cresceu 2,4% e a do Rio Grande do Sul 1,2% naquele mês.
A recuperação da indústria paranaense começou em maio, após dois meses de queda, e apresentou crescimento em janeiro (2%), fevereiro (1,9%), maio (21,2%), junho (4,7%), julho (3,2%), agosto (2,8%), setembro (9,5%), outubro (3,5%), novembro (1,2%) e dezembro (2,8%). Março e abril, meses subsequentes à chegada da Covid-19, registraram perdas. Apenas Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Minas Gerais acompanham o Paraná com dez meses de crescimento em 2020.

Os seguidos índices positivos, porém, não foram suficientes para fechar 2020 com crescimento em relação a 2019, ano em que o Paraná se destacou nacionalmente, com a maior evolução do país. No acumulado do ano, a produção industrial registrou uma baixa de 2,6%, enquanto na comparação com dezembro de 2019 o salto foi grande, com alta de 18,7%, segundo melhor resultado do país, atrás apenas do Rio Grande do Sul (19,7%).

O governador Carlos Massa Ratinho Junior pontuou que foram 17 meses de crescimento na indústria do Paraná nos últimos dois anos. “É uma recuperação, demonstra a força desse setor. Temos um compromisso de trazer mais investimentos, mais empresas. E também estamos colaborando com financiamentos, com crédito, com o fortalecimento das cadeias produtivas”, disse Ratinho Junior. “É uma organização que tem gerado empregos, receita, renda e crescimento”, destacou.

Variação mensal – No recorte mensal, em que há comparação entre os meses de 2020 com os mesmos períodos de 2019, dezembro registrou o maior salto do ano passado no Paraná, com 18,9%. Houve variação positiva em janeiro (2,6%), fevereiro (3,5%), março (1,5%), setembro (3,1%), outubro (4,8%) e novembro (13,7%). O movimento foi impulsionado pela recuperação da indústria pesada e o setor ampliado de máquinas e equipamentos. As indústrias alimentícias também ajudaram a compor o crescimento do mês. O Paraná ficou em primeiro lugar no País no recorte de produtos de metal, minerais não metálicos, madeira, móveis e alimentos. No crescimento de dezembro, as influências foram aumentos em máquinas e equipamentos (84,9%), produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos (74,7%), produtos minerais não-metálicos (43,2%), máquinas e aparelhos elétricos (41,4%), produtos de madeira (23,6%), produtos de borracha e material plástico (20,7%), móveis (20,1%), indústria de transformação (18,9%) e produtos alimentícios (8,9%).

Acumulado do ano – No acumulado de 2020, houve um recuo de -2,6%, mas já indica recuperação de parte das perdas – em maio essa diferença era de -8,9% e em julho de -8,7%, por exemplo. Os números apontam que investimentos mais robustos ficaram reservados para o terço final do ano passado, com a retomada da confiança dos investidores. Apenas Goiás, Rio de Janeiro, Pernambuco e Pará tiveram índices melhores e, no geral, o resultado paranaense foi bem superior ao do País em quase todos os setores.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email