sexta-feira, 27
 de 
maio
 de 
2022

A civilização tem uma ligação direta com os rios. Exemplo disso é a antiga região denominada Mesopotâmia, palavra de origem grega e significa “terra entre rios”. Localizada entre os rios Tigre e Eufrates, no Oriente Médio, atualmente corresponde aos territórios do Iraque, Irã e Jordânia. Habitada por babilônicos, assírios, sumérios e acádios, estes povos também são chamados de sociedades hidráulicas por causa da relação do seu desenvolvimento com as águas dos rios e a relação com a agricultura. Com o passar do tempo, a relação das pessoas com os rios piorou tanto a ponto de que em algumas cidades eles ficaram “escondidos” sob a terra.

Em homenagem aos rios, bebamos das águas poéticas de Manuel Bandeira, que há 100 anos, fez parte da geração modernista expressada em movimentos das artes, como a pintura, escultura, arquitetura, literatura, dança e música.

Trucidaram o rio (Manuel Bandeira).
Prendei o rio
Maltratai o rio
Trucidai o rio
A água não morre
A água que é feita
de gotas inermes
Que um dia serão
Maiores que o rio
Grandes como o oceano
Fortes como os gelos
Os gelos polares
Que tudo arrebentam.
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email