sábado, 25
 de 
maio
 de 
2024

Rio Negro vive dias de retomada após enchentes

Equipes da prefeitura estão fazendo a limpeza das ruas após a enchente que atingiu a cidade. Foto: Assessoria de Imprensa/Prefeitura de Rio Negro
Equipes da prefeitura estão fazendo a limpeza das ruas após a enchente que atingiu a cidade. Foto: Assessoria de Imprensa/Prefeitura de Rio Negro
A quarta maior enchente da história da cidade afetou 700 famílias, com mais de 2 mil pessoas atingidas

As últimas semanas foram dramáticas para milhares de moradores da cidade de Rio Negro, que sofreu com inundações causadas pelo grande volume de chuvas registradas no início do mês, com o nível do rio Negro chegando perto dos 11 metros. Foi a quarta maior enchente da história, desde quando começaram os monitoramentos hidrológicos, afetando cera de 700 famílias e com mais de 2 mil pessoas atingidas.

Diante do cenário, uma ação conjunta, envolvendo a prefeitura, membros da Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, organizações militares do Exército, parceiros privados e voluntários, buscou aliviar o sofrimento das comunidades afetadas pela cheia do rios Negro e Passa Três. Para agilizar as respostas e decisões a serem tomadas, uma força-tarefa foi montada no Ginásio de Esportes José Müller, onde os cidadãos tiveram todo o auxílio necessário. A estrutura ainda permanece no local dando apoio à população que ainda necessita de ajuda.

O prefeito James Valério, lembra que, perante a calamidade, o município contou com o importante apoio de cidades vizinhas, mobilizadas na arrecadação de itens e alimentos. “Para receber as doações, foram estabelecidas bases de apoio logístico, sendo que todos os donativos destinados a Rio Negro foram concentrados no Ginásio de Esportes José Müller, onde foram recebidos, registrados, organizados e transportados até os necessitados”, recorda.

Durante o período, a Defesa Civil emitiu à população várias informações e alertas meteorológicos e hidrológicos, com equipes trabalhando 24 horas por dia. A ação preventiva fez com que muitas famílias que vivem em áreas afetadas pelas enchentes pudessem retirar seus móveis com antecedência, evitando assim prejuízos maiores.

Para as acolher os desabrigados, dois espaços foram criados, sendo um no Ginásio de Esportes José Müller, onde ainda estão 12 famílias, e outro no Colégio Cívico-Militar Caetano Munhoz da Rocha.

Com constante monitoramento, o nível atual do rio Negro é de 4 metros, de acordo com o sistema de monitoramento hidrológico da Copel. Com este nível não há mais inundações em Rio Negro, mas a situação ainda é dramática com o pós-enchente.

As famílias que já retornaram para suas casas agora estão na árdua rotina de limpeza, contando com o suporte da Defesa Civil, que doou kits de limpeza, para intensificar o processo de limpeza e desinfecção dos locais visando a prevenção de doenças como a leptospirose. Além disso, análises estruturais são realizadas para garantir que as casas que foram atingidas pelas enchentes estão seguras para os moradores.

Nas unidades de ensino, as aulas presenciais já retornaram à normalidade, exceto a Escola Municipal Tia Apolônia, que foi atingida pela enchente e deve retomar as atividades presenciais no próximo dia 30. Com recursos dos governos estadual e federal, a Secretaria Municipal de Obras planeja e já realiza os trabalhos de recuperação de ruas, estradas e tubulações que foram afetadas pelas chuvas. A maioria das ruas que estavam alagadas já está com a passagem liberada para o tráfego de veículos e pedestres.



Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email