terça-feira, 15
 de 
junho
 de 
2021

Região contabiliza estragos e milhares de pessoas afetadas após chuvas

Corpo de Bombeiros fez o monitoramento dos rios em toda a região durante as chuvas. Foto: Arquivo/O RegionalAos poucos, após os inúmeros estragos causados pelas fortes chuvas na última semana no Paraná, a população atingida começa a se reerguer e retornar às suas casas e suas rotinas. Em todo o estado, de acordo com o balanço da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil do Paraná, foram mais de 34 mil pessoas afetadas e 710 desalojadas.

No suleste paranaense, os maiores estragos foram registrados em Contenda, Fazenda Rio Grande, Lapa, Mandirituba, Quitandinha e Rio Negro, com registros de casas danificadas, pessoas desabrigadas e enchentes. O balanço da Defesa Civil estadual no início da semana apontava que, somando os seis municípios citados, eram mais de 900 moradores afetados e cerca de 40 moradias danificadas. No entanto, na atualização da última quarta-feira, houve um aumento considerável nas estatísticas, principalmente em Rio Negro, onde o número de pessoas afetadas passava de 2 mil, com mais de 500 residências danificadas. Devido às enchentes, que causaram estragos em estradas, bueiros e pontes, aulas em diversas escolas e Cmeis precisaram ser suspensas.

De acordo com o Sargento Neves, chefe de socorro do Corpo de Bombeiros de Rio Negro, os trabalhos de monitoramentos e atendimento à população ainda estão em andamento no município. “A tendência é que, se não houver novas chuvas, o rio comece a baixar”, explica o profissional, reforçando que, apesar dos inúmeros estragos, não houve pessoas feridas por conta das enchentes. “Existem pessoas desalojadas mas, felizmente, não há registro de feridos”, conta.

Na cidade de Rio Negro, equipes da Defesa Civil têm auxiliado as famílias desabrigadas pelo temporal. Foto: Divulgação/Reprodução/Facebook

De acordo com o meteorologista do Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar), Cezar Duquia, o acumulado de chuva dos últimos dias na região superou as médias do meses de maio e junho. “O acumulado foi de 165 milímetros, sendo que a média para o mês de maio foi de 110 milímetros e para o mês de junho é de 120 milímetros”, explica o profissional, detalhando o que esperar do tempo para os próximos dias. “A previsão é de tempo mais tranquilo em relação às chuvas, com temperaturas caindo e pouca variação”, finaliza Duquia.

Doações – Roupas, móveis e alimentos estão sendo arrecadados nos municípios da região para destinar aos atingidos pelas chuvas. As doações devem ser entregues junto às sedes da Defesa Civil, prefeitura e ginásios que estão acolhendo os desabrigados.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email