sexta-feira, 27
 de 
maio
 de 
2022

Por que tanto se fala na Amazônia?

Primeiramente é com caracterizar este bioma. Aliás o que é um bioma? Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica (IBGE) é “um conjunto de vida vegetal e animal, constituído pelo agrupamento de tipos de vegetação contíguos e que podem ser identificados a nível regional, com condições de geologia e clima semelhantes e que, historicamente, sofreram os mesmos processos de formação da paisagem, resultando em uma diversidade de flora e fauna própria. ” De maneira mais simplista é uma grande comunidade que interliga vida animal e vegetal adaptadas às condições do ambiente.

Especificamente a Amazônia é um dos 6 biomas brasileiros ao lado da Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, Pampa e Pantanal. Aproximadamente metade de todas as espécies do planeta estão localizadas neste local sendo ele o maior de todos os biomas brasileiros além de englobar a maior bacia hidrográfica do mundo. De acordo com o Instituo Brasileiro de Florestas (IBF), “o bioma Amazônico chega a ocupar uma área de 4.196.943 Km², que corresponde mais de 40% do território nacional e é constituída principalmente por uma floresta tropical. A Amazônia passa pelos territórios do Acre, Amapá, Amazonas, Pará e Roraima, e parte do território do Maranhão, Mato Grosso, Rondônia e Tocantins”.

No site do Ministério do Meio ambiente (MMA) temos a informação de que “as estimativas situam a região como a maior reserva de madeira tropical do mundo. Seus recursos naturais – que, além da madeira, incluem enormes estoques de borracha, castanha, peixe e minérios, por exemplo – representam uma abundante fonte de riqueza natural”. Moral da história… Além da riqueza biológica já conhecida e daquela que ainda será descoberta, vários commodities (produtos de origem agropecuária ou de extração mineral, em estado bruto ou pequeno grau de industrialização, produzidos em larga escala e destinados ao comércio externo) lá são extraídos.

A questão principal é que, ainda segundo o IBF, “o solo da floresta amazônica é em geral bastante arenoso. Possui uma fina camada de nutrientes que se forma a partir da decomposição de folhas, frutos e animais mortos. Em áreas desmatadas, as fortes chuvas “lavam” o solo, carregando seus nutrientes”. Com o avanço do desmatamento, este frágil porém importantíssimo bioma corre o risco de desaparecer. Pense nisso!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email