sexta-feira, 19
 de 
agosto
 de 
2022

Politicando 18/05/2018

Escândalo I

Os últimos dias têm sido intensos na política paranaense após a divulgação por duas revistas de circulação nacional de uma suposta irregularidade envolvendo o governo do estado na gestão Beto Richa (PSDB) e a empreiteira Odebrecht em obra na rodovia 323. Acusação é de favorecimento em licitação. E a divulgação, pela RPC TV, de parte da delação do empreiteiro Eduardo Lopes de Souza, investigado na Operação Quadro Negro. Ele afirma ter pago propina para membros do governo e deputados estaduais.

Escândalo II

No primeiro caso, o principal personagem é o ex-chefe de gabinete de Beto Richa no governo, Deonilson Roldo. Áudio divulgado mostra uma conversa do ex-chefe de gabinete com o representante de uma empreiteira interessada em participar da licitação da obra na rodovia PR-323, no Noroeste do Estado. Deonilson Roldo pede que o empreiteiro desista da obra, pois o governo já teria compromisso com outra empresa, neste caso da Odebrecht. Em delação premiada à Operação Lava Jato, o ex-presidente de Infraestrutura da Odebrecht Benedicto Jr. disse que a empresa destinou R$ 2,5 milhões via caixa 2 à campanha do PSDB no Paraná em 2014.

Escândalo III

Depois da divulgação do áudio descobriu-se que Deonilson Rodo chegou a ocupar seis cargos no governo simultaneamente. Ele, inclusive, continuava no governo de Cida Borghetti (PP), com cargo na diretoria da Copel. No meio da semana a governadora anunciou sua demissão. Todo esse escândalo pode ter impacto na candidatura de Beto Richa ao senado e na relação do PSDB com a atual governadora e candidata à reeleição.

Escândalo IV

Enquanto fervia o escândalo da conversa de Deonilson Roldo sobre a licitação da PR-323, uma outra “bomba” veio à tona pela RPC TV. A divulgação em vídeo de parte da delação premiada do empreiteiro Eduardo Lopes de Souza, dono da empresa Valor, investigados na Operação Quadro Negro pelo desvio de recursos na construção de escolas estaduais. Eduardo Lopes afirma em detalhes como pagou propina para o ex-diretor da Secretaria de Estado da Educação (Seed) Maurício Fanini, e que esses recursos eram para a campanha do governador Beto Richa em 2014.

Escândalo V

Na delação o dono da empresa Valor, que ganhou várias licitações para construir escolas em cidades do Paraná, declarou que o pagamento de propina também envolveu o deputado federal Valdir Rossoni (PSDB), ex-chefe da Casa Civil de Beto Richa (PSDB); os deputados estaduais Ademar Traiano (PSDB), presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, Plauto Miró (DEM), primeiro-secretário da Casa, e Tiago Amaral (PSB).

Presidente

Entidades paranaenses estão promovendo no próximo dia 7 um grande evento no restaurante Madalosso, em Curitiba, para o senador e presidenciável Alvaro Dias (Podemos). A expectativa é reunir prefeitos, vereadores e lideranças políticas de todas as regiões do Paraná, numa demonstração de apoio multipartidário para Alvaro Dias.

Vereador de Quitandinha, Carlinhos Moura (PSC). Foto: Arquivo/O RegionalQuitandinha

O presidente da câmara municipal de Quitandinha, vereador Carlinhos Moura (PSC), avalia de forma positiva o trabalho realizado pelo grupo de cinco vereadores tidos como o grupo independente no legislativo. Segundo ele, todos os posicionamentos são baseados na legalidade e no melhor resultado para o município e a população. Carlinhos acredita que o grupo pode chegar em 2020 de forma coesa para as eleições municipais.

Agudos do Sul

A prefeita de Agudos do Sul, Luciane Teixeira (MDB), esteve nesta semana na sede da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), em Curitiba. A prefeitura e a Cohapar estão estabelecendo parceria para a construção de casas populares por meio do programa Morar Bem Paraná. Segundo o executivo agudosulense, a pretensão é atender em torno de 150 famílias de baixa renda do município.

AMP

O presidente da AMP (Associação dos Municípios do Paraná) e prefeito de Coronel Vivida, Frank Schiavini, entregou documento à governadora Cida Borghetti, durante reunião da diretoria da Assomec (Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba), pedindo uma complementação dos recursos para o transporte escolar nos 399 municípios do Estado de R$ 20 milhões. O último reajuste linear no transporte escolar foi em 2013. Do total de alunos que as prefeituras transportam (457 mil), 53% (243 mil) são estudantes do Estado (atribuição do Governo do Paraná) e recebem R$ 100,7 milhões pela prestação do serviço. Porém, o custo real do transporte escolar dos alunos da rede estadual é de R$ 289 milhões.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email