sexta-feira, 1
 de 
julho
 de 
2022

Crime bárbaro contra casal de imigrantes haitianos em Mandirituba

Residência cedida pela Abai estava sendo ocupada pelo casal de haitianos. Foto: DivulgaçãoUm crime bárbaro, inaceitável e que deve ser punido com todo o rigor foi registrado no último domingo no município de Mandirituba. Tudo aconteceu na Vila São João, a poucos quilômetros do centro da cidade, e envolveu um casal de imigrantes haitianos que vivia numa residência cedida pela Associação Brasileira de Amparo à Infância (Abai). Eram 22h30 quando quatro jovens arrombaram a porta da casa e entraram para roubar, porém, pelo período de duas horas ficaram no local e praticaram atos de expressiva violência contra o casal.

Primeiramente, eles amarraram o homem e começaram a subtrair objetos, roupas, documentos e dinheiro. E não pararam por aí. Com uma faca atingiram e praticaram vários cortes no casal. Ainda não satisfeitos, os quatro indivíduos violentaram a mulher na frente do marido. Ela só conseguiu escapar num momento em que eles estavam agredindo o esposo, quando saiu correndo e se jogou do anteparo da casa, quando caiu ‘e se fingiu de morta’. Somente a partir desse momento foi que os quatro criminosos se evadiram.

Em seguida, a haitiana, mesmo muito machucada, saiu pelo bairro em busca de ajuda. O casal, que chegou na cidade em busca de uma vida melhor e amparada por uma entidade local, viveu os piores momentos das suas vidas. Situação muito pior do que tudo que já havia passado em seu país de origem.

Com a chegada da Polícia Militar e um assistente social na residência onde moravam, os dois foram encaminhados imediatamente para o hospital. Além do relato de toda violência que havia sofrido, foi constatado que a vítima está grávida de um mês.

Com as características dos bandidos repassadas pelas vítimas, a polícia voltou à residência do casal e encontrou um chinelo, uma toca e uma garrafa de vinho, deixadas pelos criminosos. “Nos dirigimos até os comércios próximos e em um deles fomos informados que um rapaz, de nome Gabriel, havia comprado uma bebida semelhante”, contou o comandante do destacamento da Polícia Militar de Mandirituba, Sargento Horning. Em seguida os policiais foram até uma madeireira, onde encontraram Gabriel Francisco de Lima do Nascimento, de 20 anos. Na abordagem ele negou, mas acabou confessando a participação no roubo e se isentou do estupro. Ao chegar até Gabriel, a polícia teve acesso ao nome dos outros envolvidos e já na sequencia prendeu Lucas Ivan de Moraes de Lima, de 19 anos, que confirmou participação no roubo e no estupro. Os demais envolvidos, identificados como Maurício Laskoski de Bastos, 20 anos, e Josimar Augusto Batista Pereira, vulgo Neguinho, de 25 anos, não foram encontrados na noite de domingo.

No início dessa semana, a equipe Charlie da Guarda Municipal de Mandirituba recebeu uma denúncia anônima de que Maurício e Josimar estariam em uma casa abandonada na Vila São João. “Fomos até o local e encontramos as vítimas dormindo, eles não esboçaram reação e foram presos”, relatou o guarda Flávio Gelenski.

Os quatro envolvidos foram encaminhados para a delegacia de Fazenda Rio Grande, onde foram enquadrados em flagrante pelos crimes de estupro e roubo. “Em seus depoimentos eles falaram que estavam loucos. Mas o que fizeram foi algo monstruoso, pessoas sem escrúpulos que fizeram todo tipo de maldade possível”, comentou a delegada ajunta Gislaine Ortega.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email