sexta-feira, 24
 de 
setembro
 de 
2021

Pacientes relatam o diagnóstico da Covid-19 e a busca pela recuperação

Região tem casos de pessoas internadas, no entanto, boa parte dos infectados teve monitoramento em suas residências. Foto: Rovena Rosa/Agência BrasilAntes acompanhada somente pelos noticiários internacionais, a pandemia do novo coronavírus hoje se faz presente em toda a região, onde centenas de casos já foram confirmados. Apesar de toda a apreensão e da gravidade da doença, há de se destacar o percentual significativo de pacientes recuperados. Nesta semana, O Regional ouviu relatos de pessoas que obtiveram êxito e conseguiram a cura da Covid-19.

Um dos pacientes recuperados é o tenenteano Francisco da Luz Pereira, de 63 anos. Ele conta que esteve no Rio de Janeiro e passou também por Fazenda Rio Grande, acompanhando familiares que haviam adoecido. Ao retornar para Campo do Tenente, Francisco ficou isolado em sua casa, quando apresentou os primeiros sintomas. “Passei a não sentir mais o gosto e o cheiro da comida, perdendo a vontade de alimentar. Em seguida, senti muito cansaço, fraqueza e tive diarreia, quando procurei atendimento médico e, no dia 24 de abril, fui diagnosticado com a Covid-19. Fiquei aflito por já ter diabetes e pressão alta”, recorda.

Com a confirmação da doença, Francisco foi encaminhado para o Hospital do Rocio, em Campo Largo, onde permaneceu dez dias internado. “Fui encaminhado para a unidade de terapia intensiva, mas em todo período fiquei estável. Não tive contato com meus familiares, os quais somente recebiam informações por telefone”, conta o paciente, que teve alta e ficou ainda outros 14 dias em isolamento. “As pessoas da minha família, que tive contato, também se resguardaram em suas residências, mas, felizmente, ninguém foi detectado com a doença. Foi um período muito difícil e, graças a Deus, esta adversidade foi superada”, salienta.

Em Agudos do Sul, uma família inteira foi diretamente afetada pela pandemia. De acordo com Anderson Ricardo de Azevedo, de 33 anos, seu irmão retornou de viagem do Espírito Santo no mês de abril e cinco dias depois apresentou os primeiros sintomas. “Ele teve febre, dor de cabeça e bastante tosse, sendo internado para observação. Foram realizados exames e confirmada a Covid-19”, detalha Anderson. Em seguida, os familiares do motorista foram isolados e testaram positivos a esposa, que é gestante, os dois filhos do casal, além dos pais que residem em outra casa e já sofriam de problemas respiratórios.

Com a confirmação da doença nos familiares, a Secretaria de Saúde de Agudos do Sul procurou Anderson e orientou para a realização de exames, sugerindo que seu comércio fosse temporariamente fechado. “Eu e minha esposa também testamos positivos. Curiosamente, nossa filha acabou não contraindo mesmo tendo contato direto conosco”, comenta Anderson, que teve sintomas durante dois dias. “Apresentei febre, dor de cabeça e nos olhos, mas, assim como meus familiares, não tivemos agravamentos. Recebemos todo o auxílio necessário e, felizmente, estamos quase todos nós já de alta”, ressalta.

Ambos os entrevistados relataram que durante o período de isolamento sofreram com preconceito, recebendo duras críticas nas redes sociais. Eles ressaltam que foi um período muito difícil e orientam as pessoas que possam vir a contrair esta doença para que se mantenham calmas e confiantes na plena recuperação.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email