domingo, 21
 de 
julho
 de 
2024

Número de homicídios dolosos tem queda de 28% na região, aponta Sesp

Fran Claudino destaca todo o trabalho ostensivo realizado em Mandirituba. Foto: Arquivo/O RegionalDados da Secretaria de Estado da Segurança Pública e Administração Penitenciária do Paraná (Sesp-PR) apontam para uma redução de 17% no número de vítimas de homicídios dolosos, aqueles com intenção de matar, no primeiro semestre de 2018, em comparação com o mesmo período de 2017. Conforme o levantamento, nos primeiro seis meses deste ano, 1.016 pessoas morreram, enquanto que em igual período do ano anterior, foram 1.184 mortes.

No suleste paranaense, os casos de homicídio apresentaram uma queda de 28% no tempo analisado. Entre janeiro e junho de 2018, 36 pessoas foram vítimas deste tipo de crime, enquanto que em 2017, foram 50 pessoas mortas. Os municípios de Fazenda Rio Grande e Lapa apresentam os maiores índices de criminalidade da região, com 16 e oito casos no primeiro semestre deste ano, respectivamente.

Mandirituba, além de ser uma das cidades com o menor índice de homicídios nos primeiros seis meses deste, apresentou também a melhor taxa de redução entre o primeiro semestre de 2017 e igual período de 2018, caindo de 12 para um registro.

A secretária municipal de Defesa Social de Mandirituba, Fran Claudino, aponta o trabalho integrado das forças policiais como determinante na redução dos índices de criminalidade na cidade. “Polícias Militar e Civil e Guarda Municipal trabalhando juntas e integradas. São realizadas ações de fiscalizações, tais como bloqueios nas divisas entre os municípios, no intuito de localizar drogas, armas e foragidos da justiça”, detalha Fran, salientando outras ações realizadas no município. “Operações de ação integrada de fiscalização urbana, realizadas em conjunto com Conselho Tutelar, tributação, rede de proteção à criança e adolescente, visando a prevenção e fiscalização em estabelecimentos que vendem bebidas alcoólicas”, afirma.

Outros crimes – O levantamento da Sesp traz ainda mortes relacionadas a latrocínio e lesão corporal seguida de morte. No primeiro semestre de 2018, foram contabilizados dois casos de latrocínio, ambos na cidade de Rio Negro, e nenhuma vítima de lesão corporal com resultado de morte. Já no mesmo período de 2017, houve um caso de latrocínio em Quitandinha e nenhum de lesão corporal.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email