sexta-feira, 27
 de 
maio
 de 
2022

Indústria do Paraná cresce 11,2% entre janeiro e outubro de 2021

Produção da indústria do Estado apresentou novo avanço no mês de outubro. Foto: Rodrigo Félix Leal/AEN
Dados do IBGE apontam que a produção industrial paranaense é a terceira que mais cresceu no Brasil de janeiro a outubro de 2021, na comparação com o mesmo período do ano passado. Com 11,2% de aumento na produção industrial, o Estado fica apenas atrás de Santa Catarina (13,8%) e Minas Gerais (12%)

A indústria do Paraná foi a terceira que mais cresceu no país entre janeiro e outubro de 2021, na comparação com o mesmo período do ano anterior. Com o aumento de 11,2% na produção indústria, o Estado fica apenas atrás de Santa Catarina (13,8%) e Minas Gerais (12%), e 4,5 pontos percentuais acima da média nacional, conforme os dados do Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE), publicados ontem.

O aumento no acumulado é liderado pelo setor de fabricação de máquinas e equipamentos, com alta de 63,6% com relação ao mesmo período do ano anterior. Em segundo lugar está a indústria de fabricação de veículos automotores, com crescimento de 36,3%.

Para o governador Carlos Massa Ratinho Junior, os dados sinalizam para a constante retomada econômica do Estado. “O Paraná vem batendo recordes na geração de empregos: foram 176 mil só neste ano. O crescimento da produção industrial do Estado na recuperação econômica pós-pandemia está no mesmo caminho, mostrando a força que temos para nos desenvolver e gerar renda. Crescemos em 2021 e vamos entrar em 2022 com uma boa perspectiva”, afirmou o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

Aparecem em destaque também a fabricação de produtos de madeira (29,2%), produtos de metal (24,3%), produtos de minerais não metálicos (15,7%), indústrias de transformação (11,2%), fabricação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos (8,7%), produtos químicos (7,7%), bebidas (6,8%), produtos de borracha e material plástico (4,8%), e fabricação de móveis (4,5%). Na pesquisa, apresentaram queda apenas os setores de produtos alimentícios (-6,5%) e produtos de celulose, papel e produtos de papel (-1%), enquanto o setor de fabricação de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis não apresentou variação.

Números – De acordo com o levantamento, o Paraná foi um dos nove dos 15 locais pesquisados a apresentar crescimento no mês de outubro, com uma evolução de 0,6% em relação a setembro. A média brasileira foi de -0,6%, com cinco regiões apresentando decréscimo e sem apresentar variação. As expansões mais elevadas foram identificadas no Nordeste (5,1%), Mato Grosso (4,8%) e Ceará (4,1%).

Em relação aos últimos 12 meses, o Estado apresenta o segundo melhor resultado nacional, com crescimento de 12%, ficando apenas atrás de Santa Catarina, que avançou 13,9%, e no comparativo à média nacional, o resultado fica 6,3 pontos percentuais acima da média do País. Entre novembro de 2020 e outubro de 2021, o setor que puxou o crescimento foi a fabricação de máquinas e equipamentos, com 61,4% de evolução, seguida pela fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias apresentou 29,9% de crescimento.

Outros setores que registraram avanço nos últimos 12 meses foram fabricação de produtos de madeira (29%), fabricação de produtos de metal (28,4%), produtos de minerais não-metálicos (18,2%), indústrias de transformação (12%), fabricação de máquinas e materiais elétricos (11,6%), fabricação de bebidas (7,7%), fabricação de móveis (6,5%), fabricação de produtos de borracha e de material plástico (5,7%), outros produtos químicos (5,6%) e fabricação de coque, de produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (2,5%). Os únicos recuos foram fabricação de celulose, papel e produtos de papel (-0,9%) e fabricação de produtos alimentícios (-4,5%).

 



Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email