sábado, 22
 de 
janeiro
 de 
2022

Governador propõe reajuste salarial de 3% ao funcionalismo público

Projeto que propõe o reajuste foi encaminhado pelo governador Ratinho Junior à Assembleia. Foto: Rodrigo Félix Leal/AEN
Projeto de lei foi encaminhado para a Assembleia Legislativa do Paraná propondo o reajuste e tramitará em regime de urgência. Texto revê os termos da programação implementada em 2019 e interrompida em 2020 e 2021 em função da pandemia

O governador Carlos Massa Ratinho Junior encaminhou à Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) um projeto de lei, que tramitará em regime de urgência, propondo reajuste de 3% aos servidores públicos estaduais. O texto revê os termos da programação implementada em 2019 e interrompida em 2020 e 2021 em função da pandemia, como condição para o recebimento de verbas federais para a manutenção dos serviços básicos para a população.

A fim de promover o pagamento do valor ainda em débito, fora editada a Lei n° 19.912, de 2019, porém, principalmente em função da crise econômica, apenas a primeira parcela foi paga. Na época, o pagamento da reposição salarial, escalonado até 2022, seria de 2% em 2020 e 1,5% 2021 e 2022, com impacto global estimado em R$ 1,8 bilhão. Com a pandemia e a lei federal que instituiu os repasses emergenciais aos estados com veto ao aumento da folha até dezembro de 2021, os pagamentos foram interrompidos. Agora, o Estado propõe a retomada dos pagamentos e, se aprovado, o reajuste será implementado em janeiro.

O governador Ratinho Junior comentou sobre a medida, que leva em consideração o cenário econômico pós-pandemia. “O Governo tem como meta manter as contas em equilíbrio, o que possibilita atrair investimentos que geram milhares de empregos e fazer investimentos públicos para melhorar a vida nos municípios. Também estamos batalhando para aumentar a arrecadação para sanar o déficit projetado para o orçamento deste ano, ainda fortemente impactado pela pandemia. Enfrentamos nos últimos anos uma das maiores crises da nossa história e agora começamos a trabalhar com o planejamento de reajuste para os nossos servidores, que tanto se empenharam para manter os serviços públicos nos últimos anos”, afirmou.

O impacto financeiro estimado é de R$ 786,3 milhões por ano – R$ 459 milhões em ativos e R$ 327 milhões em inativos. O Estado tem cerca de 150 mil servidores ativos e 133 mil inativos (aposentados e pensionistas). O projeto prevê o pagamento do índice restante de revisão geral anual previsto na Lei n° 18.493, de 24 de junho de 2015, dependerá do desempenho da arrecadação ao longo do exercício de 2022.

 



Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email