segunda-feira, 21
 de 
junho
 de 
2021

Falta de chuva prejudica a produção de alimentos em todo o Paraná

Produtividade do setor agrícola é diretamente impactada pela falta de chuva que assola o Estado. Foto: Arnaldo Alves/Arquivo/AENA estiagem que assola boa parte do Estado, desde 2019, tem afetado a vida de milhares de paranaenses. No Paraná, ao longo desse período, choveu em média 70% abaixo do esperado.

Conforme estimativa dos órgãos competentes estaduais, os reservatórios da Sanepar também estão com nível 70% abaixo do normal. A seca também tem interferido diretamente no andamento de uma série de atividades, entre elas a agricultura.

O hidrólogo do Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar), Arlan Scortegagna, explica os efeitos da estiagem. “Quando as consequências da falta de chuvas afetam estes três setores essenciais à sobrevivência, abastecimento de água, geração de energia e produção de alimentos, dizemos que estamos numa condição de seca extrema. É o que estamos vivendo, e o prognóstico não é muito positivo para o verão, quando costuma chover mais”, explica.

Para o engenheiro agrônomo Rubens Antônio Sieburger Costa, do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná-Iapar-Emater (IDR-Paraná) sem água é impossível produzir. “Sem produção, não há comida. Água é fundamental para a produção de alimento. E é sempre uma preocupação do agricultor quando e quanto vai chover para fazer o plantio e a colheita, e ter um produto com boas condições de consumo e nutricionais. Falta de chuva também interfere na qualidade daquilo que o produtor vai oferecer”, diz.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email