sábado, 19
 de 
junho
 de 
2021

Estado autoriza e Parque do Monge poderá ser usufruído comercialmente

Cancela implantada em área particular foi retirada nesta semana. Espaço poderá receber infraestrutura comercial. Foto: Assessoria de Imprensa/Prefeitura da LapaUm dos pontos turísticos mais conhecidos da região, o Parque Estadual do Monge, localizado na cidade da Lapa, vem enfrentando nos últimos anos uma série de dificuldades. Devido a obras estruturais e mudanças no formato de utilização, o local ficou fechado para visitação durante um longo período e, atualmente, está semiaberto.

De acordo com o coordenador geral de comunicação e eventos da prefeitura da Lapa, Márcio Assad, antes das obras o parque contava com lanchonetes, restaurantes e churrasqueiras dentro de sua estrutura. “Com as mudanças, toda esta infraestrutura foi demolida. No local, foi extraída madeira e os espaços construídos foram de péssima qualidade”, relata Assad. Além destes fatores, o Estado implantou há cerca de oito anos uma cancela na área que pertence a terceiros. “Isso impediu a construção de comércios, não dispondo nem mesmo de qualquer indenização aos proprietários. Além disso, quem vinha ao parque, não tinha nem sequer uma água para comprar e o estacionamento não existia”, detalha Assad. Estas mudanças fizeram com que a visitação no local aos domingos despencasse de cerca de 3.500 pessoas para aproximadamente 800 visitantes.

Parque foi o local escolhido como morada pelo Monge João Maria. Fiéis visitam o local e fazem pedidos de intercessão. Foto: Jorge Woll/SEIL/DER

Diante deste cenário, a prefeitura trabalhou ao longo dos anos para obter mudanças necessárias e voltar a usufruir turisticamente do parque, sugerindo até mesmo a municipalização do espaço. Na última quarta-feira, em uma reunião com o Instituto Água e Terra, do governo do Estado, foram divulgadas algumas mudanças imediatas, entre elas, a retirada da cancela. “Isso permitirá que os donos dos imóveis possam explorar comercialmente estes locais. Para isso, terão que obedecer a diversos critérios ambientais que serão determinados pela prefeitura”, relata Assad, enaltecendo esta importante conquista. “O parque vai voltar a ser da Lapa, a ter vida e alegria”, ressaltou.

Com a autorização do Estado, a prefeitura está reunindo os grupos de esportes e também a classe empreendedora para utilização do espaço. “Vamos implantar esportes como o ciclismo, voo-livre, escaladas, entre outros. Poderão ser criados mais espaços para estacionamento, estruturas de alimentação e venda de artesanatos. Todos estes segmentos vão ajudar a cuidar do parque”, salienta Assad, enfatizando algumas mudanças do formato anterior. “Hoje, contamos com saneamento e rede de água, corrigindo graves problemas ambientais. Somado a isso, todos os critérios de conservação e zelo pelo espaço serão obedecidos rigorosamente”, reforça Assad.

A prefeitura informou que irá colocar profissionais para realizar a vigilância do local.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email