domingo, 7
 de 
agosto
 de 
2022

Energia elétrica ficará 6% mais cara com reajuste anual da Copel

Eduardo relata que reajuste na tarifa de energia preocupa as empresas que buscam não repassar os aumentos dos gastos aos consumidores. Foto: Arquivo/O RegionalPrepare o bolso. É isso aí mesmo, porque a Companhia Paranaense de Energia (Copel) anunciou nesta semana reajustes na tarifa da energia que variam entre 5,62% e 6,09%. Essa medida atingirá 4,5 milhões de unidades consumidoras em todo o estado.

Este reajuste anual foi aprovado nesta semana pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e passa a valer a partir deste sábado. Para as residências, o acréscimo será de 6,09%. Já para empresas, o percentual será de 6% para quem utiliza baixa tensão e de 5,62% para indústrias que usufruem da alta tensão. O cálculo do reajuste leva em consideração a variação de custos associados à prestação do serviço, analisando também a aquisição e a transmissão de energia elétrica, bem como os encargos setoriais.

Este reajuste já vem preocupando consumidores e empresários em toda a região. Na Lapa, a Casa do Pastel Café gasta em média cerca de R$ 1.000,00 por mês com energia. “Sempre adotamos medidas para economizar, deixando equipamentos que não estão sendo utilizados desligados. Mesmo assim, o consumo é muito grande”, detalha o balconista Eduardo Goll Ferrari, salientando que estes reajustes ainda não foram repassados ao consumidor. “Tudo acaba tendo um acréscimo e as empresas não têm como suportar isso sozinhas”, avalia.

Eleita a melhor distribuidora de energia da América Latina de 2016, a Copel vem acumulando reclamações na região. Por vezes a interrupção da energia durou várias horas, já em outras situações não houve sequer o aviso prévio de desligamento. Outro ponto de grande questionamento é a oscilação da energia, a qual provoca uma série de prejuízos.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email