sábado, 25
 de 
setembro
 de 
2021

Empresas de decoração relatam os impactos com o adiamento de eventos

Shirlei da Rocha lamenta toda situação que o mundo está vivendo e que está causando grandes efeitos a todas as pessoas. Foto: DivulgaçãoAs incertezas causadas pela pandemia do novo coronavírus têm influenciado diretamente na economia, afetando diversos segmentos comerciais e empresarias. Um dos setores que têm sentido grande impacto é o de decorações.

Com as medidas de isolamento social determinadas pelos órgãos de saúde, muitos eventos como casamentos e aniversários precisaram ser cancelados ou adiados e, com isso, as empresas que atuam no ramo decorativo tiveram contratos impactados.

A empresária Shirlei da Rocha, da Criattiva Decor, empresa situada em Piên, relata que com as incertezas do momento, as atividades estão paralisadas. “O impacto é muito grande para nós pequenas empresas. Está totalmente parado até início de junho de momento e, conforme o último decreto, não houve e não haverá nenhum evento, sendo casamentos, formaturas, eventos religiosos, festas infantis, particulares ou empresariais. Praticamente serão de momento mais de três meses sem nenhum evento, sem receber, porque início de junho também os eventos que tínhamos, já estão adiando devido à incerteza de mais um novo decreto. Nas primeiras semanas mais de 70% da produção de flores que é destinada para eventos e decorações foram jogadas fora, um grande prejuízo”, detalha.

Ainda segundo Shirlei, a expectativa de vendas futuras é uma incerteza porque ninguém quer fazer um evento nas escuras e muitos até já ficaram desempregados e estão economizando para tentar garantir o sustento da família. “Estamos renegociando tudo, mas ainda buscando o mercado já agora e focando em 2021 porque as datas futuras desse ano já ficaram também comprometidas com os eventos que não conseguimos realizar nesse período. Incentivamos os clientes a adiar e não cancelar seu evento, seu sonho, que torcemos para logo voltar ao normal. Remarcando o evento, o cliente protege seus convidados do vírus e sua família, assim não perderá seu investimento e ajuda muito o mercado de eventos e a economia do país. O momento que estamos vivendo nos pede carinho e muito cuidado com todo mundo. O coronavírus veio para nos ensinar sobre recuar, esperar e ter paciência necessária para que tudo passe logo. Estamos unidos num mesmo propósito”, conclui.Leunilda Beuther relata a preocupação com a interrupção das atividades por tempo indeterminado. Foto: Divulgação

A Lux Decorações, do município de Rio Negro, também é uma das empresas que tiveram a programação de eventos afetada até meados de julho. “Houve uma quebra muito grande. Tínhamos festas de casamentos e de aniversário em cidades como Piên, Rio Negro, Rio Negrinho e São Bento e que foram adiadas ou canceladas. Chegava a fazer mais de 50 festas anualmente e agora a expectativa é cerca de 30 para este ano”, explica a empresária Leunilda Beuther, contando ainda que buscou alternativas para se reinventar no mercado. “A empresa não conta com empregados, sempre foi a família que ajudou. Agora, junto com minha irmã, estou fazendo cortinas e máscaras. É preciso buscar algumas medidas para nos mantermos neste período”, finaliza.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email