segunda-feira, 18
 de 
outubro
 de 
2021

Dia Mundial do Câncer reforça a conscientização para o diagnóstico

Casos de câncer atingem uma parcela significativa da população. Cuidados simples ajudam a diminuir a possibilidade da doença se manifestar. Foto: Divulgação/Hospital Erasto GaertnerCelebrado mundialmente em 4 de fevereiro, o Dia Mundial do Câncer, instituído em 2005 pela União Internacional para o Controle do Câncer (UICC), com o apoio da Organização Mundial da Saúde (OMS), é uma campanha com o objetivo de promover a conscientização para a educação sobre a doença e tentar evitar milhões de mortes a cada ano.

De acordo com estimativas, até 2030, o câncer deve ser a principal causa de morte no mundo. No Paraná, o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) e o Ministério da Saúde (MS) estimam o surgimento de mais de 40 mil casos novos de câncer no Estado em 2019.

O diretor técnico do Hospital Erasto Gaertner, doutor Willian Itikawa, explica que os maus hábitos de vida são fatores determinantes para o manifestação de casos de câncer em modo geral. “Para tanto, algumas formas de prevenção são a prática de exercícios físicos, alimentação saudável, manter o peso de forma equilibrada, não fumar e não beber”, orienta o médico, apontando ainda os tipos mais frequentes de câncer. “Hoje, o tipo de câncer mais comum é o de pele. Apesar de ter baixa mortalidade, este tipo de tumor representa 30% do total de casos no país”, afirma.

Ainda conforme o profissional, o diagnóstico precoce é decisivo no tratamento e na cura da doença. “Nos estágios iniciais, as chances de cura são de 95%. Por isso, o maior recado que podemos passar à população é a prevenção, estimular mulheres e homens buscarem os exames preventivos que possam fazer o diagnóstico precoce”, conclui.

Levando em consideração os efeitos deixados pelos tumores, vem sendo constante a procura de pacientes pelas cirurgias reparadoras pós-câncer, com o objetivo de reverter a mutilações causadas pela doença, conforme esclarece o cirurgião plástico Bruno Beraldi. “Estas cirurgias têm algumas funções, como devolver a parte de funcionalidades, além da parte estética e emocional do paciente que tenha tido alguma lesão causada pelo câncer”, ressalta Beraldi, destacando os procedimentos mais comuns. “Hoje, uma das cirurgias mais procuradas é para reconstrução da mama. Há também os procedimentos nasais, de pálpebra e óssea”, salienta.

Por fim, o médico afirma a importância do paciente que teve alguma sequela deixada pelo câncer buscar a cirurgia reconstrutora. “Além de devolver funcionalidades, elas trazem a dignidade e a autoestima às pessoas. Muitas dessas cirurgias são cobertas por planos de saúde e pelo SUS, além de ser um direito do paciente”, finaliza.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email