segunda-feira, 4
 de 
julho
 de 
2022

Dia de Finados: data que marca a lembrança dos entes já falecidos

Josieli, Helga e Natali realizam a limpeza dos túmulos de familiares em Piên/Foto: Arquivo / O RegionalA próxima segunda-feira, 2 de novembro, é o dia de Finados. Nesta data, de uma forma mais especial, as pessoas lembram de seus amigos e familiares já falecidos, além de orarem por eles. Por este motivo é grande a movimentação nos cemitérios no feriado. Durante os últimos dias, na região, já se pôde observar muitas pessoas realizando a limpeza e ornamentação dos túmulos.
No suleste paranaense são dezenas de cemitérios e milhares de sepulturas. Em Piên, por exemplo, registros desde 1962 apontam que foram feitos 1.944 sepultamentos nestes 53 anos.
Na localidade de Lageado dos Martins, Piên, Helga Buba conta com a ajuda de Natali e Josieli Buba para realizar a limpeza das sete sepulturas da família. Porém, o cuidado para eles não ocorre só nesta época. “Durante todo o ano realizamos entre os familiares o cuidado dos túmulos. É uma forma de demonstrarmos respeito, carinho e gratidão pelos familiares que já não estão mais conosco e foram tão importantes”, descreve Helga.
Ela também leva flores naturais para enfeitar os sepulcros. “A família é bastante grande, assim todas as catacumbas ficam enfeitadas. Em alguns casos, quando necessário, realizamos a compra de flores artificiais”, relata Helga.
Os cemitérios também têm valor histórico para as cidades. É o que enfatiza a professora de história, Giseli Lutke Jareck, de Tijucas do Sul, que cita que o local não deve ser visitado apenas no feriado. “Eu venho com frequência, acompanhada dos meus alunos, estudar a história de nosso município que não está escrita nos livros”, comenta. Ela recorda dos grandes nomes da Revolução Federalista, dos fundadores de escolas e colégios da cidade e destaca obras arquitetônicas antigas construídas há mais de 200 anos. “É um local que deve ser preservado com carinho”, sugere.
Outro ponto destacado pela professora é quanto ao cuidado dos sepulcros. Ela recorda que a sua geração hoje limpa e ornamenta os túmulos de avós e bisavós e mostra uma preocupação: será que as futuras gerações vão dar continuidade a estas tarefas?
O que a igreja celebra – Na igreja católica, segundo o padre Fábio Junior Meira, de Tijucas do Sul, para quem tem fé a vida nunca termina. “ Morte é, de fato, o término de um período, que chega para todos. A celebração de Finados nos faz pensar nessa etapa, no fim de nossa peregrinação neste mundo. É dia de repensar em nossas atitudes, fazer o bem, perdoar, recomeçar. A morte é um recomeço! Recomeço na eternidade”, completa.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email