segunda-feira, 14
 de 
junho
 de 
2021

Denúncias mostram crescimento de fura-filas nas cidades do suleste

As prefeituras municipais estão reforçando o monitoramento e a fiscalização da vacinação na população. Isso porque as cidades têm registrado um aumento de denúncias de pessoas que não respeitam os grupos prioritários, que são no primeiro momento, profissionais da saúde e idosos.

Até o dia 3 de março, a Controladoria-Geral do Estado do Paraná mostrou que 544 casos de vacinação tinham algum tipo de suspeita, em todo o estado.

No suleste paranaense são 26 denúncias, segundo dados divulgados até esta quarta-feira. Lapa e Tijucas lideram a posição das cidades com mais casos na região.

O prefeito municipal da Lapa Diego Ribas disse, em entrevista ao jornal O Regional, que o município ainda não teve nenhum fura-fila, mas que sabe que há algumas denúncias. “Consta aí que teria algumas denúncias, mas até agora nada foi confirmado. Estamos seguindo o plano à risca. Não vou tolerar esse tipo de comportamento”, enfatiza o prefeito.

Ribas argumenta que não há até o momento comprovação de que algum cidadão tenha furado a fila. Mas orienta que todos sigam as orientações do governo federal e estadual. “A regra do jogo é seguir o governo federal e estadual e não deixar ninguém passar na frente para ser beneficiado”, argumenta.

O prefeito afirma que se houver comprovação de infração da lei, seja de qualquer funcionário, haverá punição. “Todos sabem desde o primeiro dia da vacinação, quem fizer errado, será punido”. Afirma Ribas.

O secretário municipal de saúde de Tijucas do Sul Sebastião Lima disse em nota que as denúncias relacionadas a vacinação contra a Covid-19, estão de acordo com a demanda do Ministério Público. Lima afirma que todas as pessoas questionadas pelo MP e demais órgãos, são profissionais que se enquadram no plano estadual de vacinação. De acordo com o entendimento da secretaria, não ocorreu fura-filas.

O secretário finaliza dizendo que caso haja novas denúncias de pessoas que tenham violado a fila de vacinação, será apurado e haverá punição. “Se ocorrerem novas denúncias, cuja pessoa vacinada não se enquadre no plano estadual de vacinação contra a Covid-19, será aberto inquérito administrativo para apuração do caso com os servidores envolvidos”, enfatiza.

O governo do Paraná tem criado medidas para controlar e identificar pessoas que tenham recebido a dose da vacina, mesmo não fazendo parte do grupo prioritário. A Controladoria-Geral do Estado tem um canal que está recebendo denúncias e informações, além de visitas a prefeituras dos municípios que receberam doses da vacina.

Saiba como denunciar: qualquer cidadão pode fazer uma denúncia, basta acessar o site www.coronavirus.pr.gov.br/Vacinacao-denuncias ou pelos telefones de atendimento 0800 041 1113 e (41) 3883-4014, que atende pelo aplicativo Whatsapp. Os relatos são encaminhados ao Ministério Público para apuração dos fatos. Caso o suspeito seja funcionário público, pode responder a um processo administrativo, se for um agente político ou com cargo comissionado, pode ser demitido.

O governo do estado orienta que denúncias devem ter o máximo de informações possíveis, para que seja possível ser feita uma investigação. Como identificação da pessoa; data, local e hora da vacinação; quem aplicou a vacina. E se houver possibilidade, o denunciante poderá anexar fotos ou documentos para efetivar a denúncia.

tabela-fura fila

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email