terça-feira, 26
 de 
outubro
 de 
2021

CTenente incentiva cultivo do morango

Produtores tenenteanos conheceram estufa de morango em Quitandinha e obtiveram maiores detalhes da produção. Foto: DivulgaçãoVisando diversificar a produção agrícola e apresentar novas alternativas de renda aos agricultores, a Emater, em parceria com o Senar, Sindicato Rural e a prefeitura de Campo do Tenente, promoveu um curso sobre o cultivo de morango. A capacitação envolveu 15 produtores e contou com aulas técnicas e teóricas.

Durante o treinamento, foi apresentado o morango semi-hidropônico, que é produzido em estufas e não é ligado diretamente ao solo. “Esta alternativa, já utilizada na região, faz com que o uso de defensivos agrícolas seja diminuído em cerca de 90%, sendo que em alguns casos não existe a necessidade de utilização de agrotóxicos”, ressalta o técnico da Emater, Luis Gustavo Lorga, citando outros pontos positivos deste método. “Caso fosse cultivada no solo, a lavoura iria produzir cerca de 2 anos, sendo necessária uma pausa de 4 anos no terreno para que haja o intervalo necessário de rotação. Neste novo sistema, temos registros de até 4 anos de produção ininterrupta, além de que o produtor não precisará trabalhar agachado e a planta estará isenta de uma série de doenças de solo”, conta.

Segundo cálculos apresentados pelo Senar, o custo médio para iniciar a produção é de R$ 45 mil, contemplando a construção de uma estufa de 7 X 51 metros. “Neste valor, estão inclusos cerca de 3.500 mudas e todo o necessário para iniciar o cultivo”, salienta Luiz Gustavo, estimando que o valor investido é obtido em aproximadamente 1,5 ano. “A planta inicia a produção dentro de 3 meses e a venda do quilo está em média a R$ 8,00”, detalha.

Para o secretário municipal de Agricultura e Meio Ambiente, Edvaldo Dias dos Santos, a produção de morango tem se apresentado rentável na região. “Ao contrário de outros municípios, em Campo do Tenente poucos agricultores se dedicam a esta cultura. Portanto, além de apresentar novas técnicas desde a escolha de mudas ao manejo como um todo, este curso visa apresentar aos produtores uma nova alternativa de renda, que seja viável e segura”, comenta Edvaldo, citando os próximos passos do projeto. “Queremos formar um grupo de produtores que produzam morango, possibilitando que a produção seja comercializada no mercado comum e também com a prefeitura, através do fornecimento dos produtos da agricultura familiar para as escolas municipais”, concluiu.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email