sábado, 25
 de 
setembro
 de 
2021

Comunidade escolar avalia os efeitos do adiamento do Enem 2020

Leonardo Mendes defende que o adiamento do Enem foi uma decisão necessária em virtude do cenário atual da pandemia. Foto: Arquivo/O RegionalO Ministério da Educação (MEC) anunciou, na última quarta-feira, o adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020 em função dos impactos da pandemia do coronavírus. O cronograma inicial previa a aplicação das provas impressas nos dias 1º e 8 de novembro e a versão digital seria realizada nos dias 11 e 18 de outubro.

Em toda a região, a definição era aguardada por estudantes e professores que, desde o avanço da doença em todo o país, vinham seguindo as determinações estaduais e adotando o sistema de aulas online, com aplicação de conteúdos de forma remota a fim de não comprometer o processo educacional. Agora, com o adiamento, a comunidade escolar avalia novas metodologias para continuar a preparação para as provas.

Para a professora Ivete Wergenski, do Colégio Estadual do Campo Professora Maria Senek Wosnhaki, de Mandirituba, a medida é válida e possibilitará um trabalho ainda mais profundo junto aos alunos que farão as provas futuramente. “Não sabemos se até novembro estará controlado o problema com a Covid-19 e assim teremos mais um tempinho de estudo e preparação para o Enem”, considera a docente, detalhando como estão sendo as atividades disciplinares abordando o exame. “Estávamos a cada 15 dias trabalhando simulados com os alunos e pedindo para eles fazerem muita leitura de assuntos sobre atualidade e também orientando sobre sites complementares”, conta.

Ainda segundo Ivete, mesmo com o adiamento, os educandos não devem deixar os estudos de lado. “Devem continuar se dedicando e sempre pedindo a orientação aos professores para sanar suas dúvidas. Na escola onde leciono estamos preparando um material com simulados e assuntos possíveis que possam cair no Enem para que todos se sintam seguros e confiantes para o dia da prova. Espero que todos consigam se preparar para as provas do Enem, mesmo sendo de forma online, e desejo boa sorte e bons estudos”, conclui.

O estudante do último ano do ensino médio do Colégio Estadual Frederico Guilherme Giese, de Piên, Leonardo Mendes, conta que já havia efetuado a inscrição e iniciado a preparação para a realização das provas. “Estou seguindo um bom ritmo, conseguindo acompanhar o cronograma de estudos que tinha preparado, e com esse adiamento vai ser possível estudar com mais calma e até se preparar melhor”, detalha Mendes, avaliando como positiva a decisão tomada pelo MEC. “O Brasil é um dos países com mais casos no mundo, e com todo isolamento e cuidados adotados, não é o momento para pensar em Enem, até porque tem muitos jovens que ainda não possuem computadores ou acesso a internet em casa, então imagina para eles como seria para se preparar para uma prova desse nível sem a escola, então esse adiamento foi bom para não ter um Enem desigual, avalia.

Conforme comunicado divulgado pelo Mec, em conjunto com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), para definir a nova data, o Inep promoverá uma enquete direcionada aos inscritos, a ser realizada em junho, por meio da Página do Participante. “As datas serão adiadas de 30 a 60 dias em relação ao que foi previsto nos editais“, diz nota.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email