domingo, 22
 de 
maio
 de 
2022

Com clima mais chuvoso neste ano, colheita da soja entra na reta final

Anicélio, Osmar e João Roberto se dedicam à produção de soja há oito anos em Agudos/Foto: O RegionalA soja vem a um bom tempo se tornando uma das principais forças da agricultura na região. Cada vez mais, novos produtores buscam a diversidade da produção e estão ingressando neste cultivo que vem se mostrando rentável e atrativo. Nesta época do ano, os agricultores estão focados na colheita da lavoura.
Na localidade de Palmitos, em Agudos do Sul, Osmar Kobus, Anicélio Muchon e João Roberto Kobus abandonaram o cultivo do tabaco e há oito anos plantam soja. “No começo enfrentamos dificuldades, já que não tínhamos a colheitadeira e com isso éramos obrigados a alugar o maquinário. Agora, felizmente temos equipamento próprio e as coisas melhoraram”, relatou Anicélio, citando que o desafio é conseguir áreas para o plantio. “Nesta safra, cultivamos 24 alqueires e 90% dos terrenos são alugados. Em anos em que a procura é grande, o aluguel vira um leilão”, descreveu Anicélio.
Para eles, a preocupação desta safra está nas doenças que invadem a lavoura. “Em média foram gastos de R$ 600,00 a R$ 800,00 por hectare de agrotóxicos para o combate das pragas, especialmente a ferrugem”, contou Osmar, salientando que a crise econômica é sempre um motivo que pode afetar. “Sempre há um receio por isso também procuramos outras fontes de receita”, descreve João. Nesta safra, a expectativa dos agricultores é de que sejam colhidos 60 sacos de soja por hectare, sendo que a produção é comercializada com a Cooperativa Bom Jesus.
Um dos principais fatores determinantes para o cultivo da soja, o clima, surpreendeu muitos agricultores nesta safra. Segundo o técnico agrícola Alvisio dos Santos, da Cooperativa Bom Jesus da Lapa, o clima foi chuvoso, diferente do ano passado, que foi mais seco. “Neste ano, muito produtores se preocuparam também com as lagartas e descuidaram da ferrugem asiática que pode contabilizar alguns prejuízos ainda”, destacou. Neste caso, o técnico acrescenta que é fundamental o agricultor vistoriar com mais frequência a sua lavoura e buscar a orientação rápida sempre que tiver duvidas. “Fazer os preventivos corretamente e corrigir sempre que necessário garantem uma boa safra”, disse. Na Lapa, segundo a Bom Jesus, 90% dos produtores rurais estão cultivando a soja.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email