terça-feira, 15
 de 
junho
 de 
2021

Atletas relatam a adaptação aos treinamentos em meio a restrições

Handrey conta que tem explorado treinos na área rural. Foto: DivulgaçãoCom medidas de isolamento impostas pelos órgãos de saúde, diversos segmentos foram diretamente afetados. Na área esportiva, além dos campeonatos que tiveram suas programações interrompidas, as corridas de rua e ciclismo também precisaram adiar seus eventos. Diante deste novo e incerto cenário, centenas de atletas têm buscado alternativas para continuar ativos e dando sequência à realização de exercícios, para não comprometer o desempenho físico e a saúde.

Um dos exemplos é o pienense Handrey José Schreiner, que frequentemente participa de circuitos de bike. “Em minha rotina, busco treinar ao amanhecer ou à noite para evitar o fluxo de pessoas e opto por rotas diferenciadas, indo mais para o interior do município”, conta o atleta, compartilhando que já é notável algumas mudanças físicas com a diminuição da intensidade de treinos. “É perceptível que por não ter uma agenda de provas não há o devido comprometimento com os treinos, mas tento me manter ativo para não perder o condicionamento físico”, avalia.

Schreiner pontua ainda as competições que participava e que foram afetadas. “Participava da Copa Soul, que realizou uma etapa em Piraquara, e as próximas fases já foram canceladas, não havendo previsão de retorno, assim como a Metropolitana e competições que aconteceriam nas redondezas. Apesar dessa incerteza, a expectativa é grande pelo retorno”, conta o pienense, reforçando que o principal objetivo da prática esportiva é a saúde. “Eu pedalo para cuidar do meu corpo e como estímulo participo das provas”, finaliza.

Integrantes da equipe Tijucas Bikers em um dos eventos disputados neste ano. Foto: Divulgação

Em Tijucas do Sul, o grupo de ciclismo Tijucas Bikers também teve as atividades interrompidas devido à pandemia. “Contamos com cerca de 30 participantes na equipe e participávamos de competições, além de ter uma atividade voltada ao lazer e a saúde. Nos últimos anos, colecionamos bons resultados, inclusive sediando provas metropolitanas na nossa cidade”, recorda Marcelo Bonetti, um dos integrantes da equipe.

Neste ano, a equipe tinha como meta participar de mais competições, no entanto, a grande maioria das corridas foi suspensa ou cancelada. “Além disso, estávamos realizando o pedal social, que visava incentivar a comunidade à prática do mountain bike”, conta Bonetti, salientando que a rotina de treinamentos também sofreu alterações. “Alguns estão treinando em casa e os pedais em grupo têm sido evitados, diminuindo também a intensidade para não haver baixa na imunidade. Mas orientamos as pessoas que não deixem de praticar atividades físicas, seguindo todos os cuidados necessários, isso faz bem para o corpo e distrai a mente”, pontua.

Gilsom relata a saudade das provas de corridas de rua. Foto: DivulgaçãoQuem também teve os planos esportivos afetados foi o tenenteano Gilsom Roberto Rodrigues. Participando de corrida de rua há cinco anos, ele esteve presente em 22 provas em 2019. “Neste ano, participei de quatro eventos e obtive três pódios. Estava inscrito em outras duas corridas, as quais foram suspensas. Além disso, dezenas de outros eventos foram adiados”, detalha Rodrigues.

Para manter o condicionamento físico, Rodrigues tem prosseguido com a rotina de treinamentos. “Mesclo a preparação entre a academia e a corrida em pontos de menor aglomeração. No entanto, a saudade das corridas e dos amigos é muito grande e insubstituível”, destaca o tenenteano, que apoia as medidas restritivas. “Precisamos nos preservar e cuidar também da nossa família. Fico na torcida para que tudo isso passe logo e possamos retornar à vida normal”, finaliza.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email