domingo, 7
 de 
agosto
 de 
2022

Aperto no crédito agrícola pode prejudicar produtores

Para melhorar a produção, diversos agricultores buscam financiamentos, que estão cada vez mais inacessíveis/Foto: O RegionalA crise por qual passa diversos setores da economia do país afeta também a área agrícola na região. A situação pode se agravar com as dificuldades de acesso ao crédito, já que muitos agricultores dependem de financiamentos para a compra de equipamentos e custeio da safra.
Taxas de empréstimos para itens como tratores e colheitadeiras sob a linha de crédito conhecida como Finame já subiram fortemente e devem quase dobrar até julho frente aos níveis do início de 2015. As vendas nacionais de maquinários agrícolas tiveram queda de 20% no primeiro trimestre deste ano, de acordo com a associação de montadoras Anfavea. Insumos agrícolas como agroquímicos e fertilizantes também estão perdendo força.
Segundo o consultor agrícola Diogo Malinovski, de Piên, o financiamento pode ficar escasso. Ele conta que nos últimos anos o crédito esteve facilitado. “Mas a partir de agora os juros devem subir e voltar ao mesmo patamar de 2009”, acredita ele. Segundo Diogo, além do aumento das taxas, maior rigidez nas documentações também podem dificultar o acesso ao crédito.
Para Augustinho Treméa, do escritório da Emater de Agudos do Sul, é notada uma cautela maior dos agentes financeiros na oferta de recursos para crédito e, diante da situação, podem ser exigidas mais garantias. Os projetos são elaborados, mas a liberação é mais difícil. “O agricultor tem a esperança que no atual Plano Safra, que é ligado ao governo e que vai até junho, os juros continuam iguais até a metade do ano, mas mesmo assim há produtores rurais que estão receosos e procurando não se endividar”, enfatiza.
Em Contenda, as informações do escritório da Emater também dão conta de que os agricultores do município realmente decidiram segurar a preferiram não arriscar. A procura pelo auxílio da Emater na elaboração de projetos de financiamento diminuiu consideravelmente.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email