quinta-feira, 7
 de 
julho
 de 
2022

Apaes encaram desafios para melhorar estrutura

Apae de Quitandinha conta com uma das melhores estruturas da região/Foto: Arquivo / O RegionalA presença das Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apaes) nos municípios da região é, sem dúvida alguma, uma grande conquista devido à importância do trabalho que prestam. Porém, em muitas cidades as entidades carecem de melhor estrutura para realizar o atendimento aos alunos especiais.
A escola de educação especial de Quitandinha pode ser apontada como uma das que possuem condições melhores. A entidade possui alguns diferenciais, como uma quadra de golfe sete com grama sintética e também uma piscina coberta e aquecida.
No entanto, a diretora Aparecida de Fatima Machado cita algumas necessidades, como uma quadra coberta, ampliação do refeitório e mais duas salas para biblioteca e laboratório de informática. Ela comenta também sobre um projeto para um espaço para equoterapia.
Em área construída, se destaca a Apae de Mandirituba, com 1,5 mil metros quadrados. A diretora Eliane Starepravo conta que a estrutura está passando por reformas e tem 80% das obras concluídas, além de nova mobília que está sendo comprada. Mesmo assim, há fila de espera para jovens acima de 16 anos. “São muito importantes os eventos para arrecadar fundos para as obras da entidade”, complementa.Instituição de ensino de Mandirituba está recebendo investimentos em reformas/Foto: Assessoria de Imprensa / Prefeitura de Mandirituba
A escola especial de Campo do Tenente é uma das mais recentes, inaugurada em 2012. Os alunos contam com um bosque para realizarem atividades físicas, além de uma horta com acessibilidade para cadeirantes. “A horta foi um projeto da engenheira Rolani Basso, que voluntariamente nos ajudou”, destaca Cleusa Komarchewski, diretora da escola.
Em Contenda, a diretora da entidade, Leila Thais, conta que devido à má qualidade está sendo iniciada uma construção com recursos próprios e a Apae depende da realização de eventos para angariar fundos. “Os alunos não têm área de lazer e no refeitório foi feita sala de aula para suprir a demanda”, salienta.
O que não falta em todas as Apaes da região é dedicação dos profissionais para prestar um bom atendimento dentro das possibilidades.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email