segunda-feira, 15
 de 
agosto
 de 
2022

A hora dos ajustes

O ano de 2015 recém tinha começado e todos os setores já sabiam que seria um período de muitos desafios. Findado doze meses, todas as expectativas se comprovaram e para algumas áreas a adversidade foi além do imaginável. A inflação subiu, a desvalorização da moeda nacional extrapolou e o desemprego bateu na porta de muita gente. Ou seja, foi um ano de grandes perdas para o país e sua população.
2016 chegou e o que podemos esperar desses novos doze meses que estão por acontecer? A primeira resposta e talvez a mais sensata se resuma em uma única palavra: ajuste. Existe uma previsão de um ano duro no cenário econômico e da dificuldade de retomada do crescimento, do combate à inflação e recuperação de postos de trabalho. Portanto, será um período de ajustes na busca da recuperação em muitas áreas importantes para o país.
Para o cidadão comum, o ajuste acontece de forma mais prática e direta possível. As contas de energia elétrica, água, IPVA, mensalidade escolar, entre outras despesas fixas das famílias brasileiras foram reajustadas. Com mais despesas e sem aumento de receita, cada um sente-se obrigado a promover ajustes para não entrar no vermelho ou piorar um quadro que já é desfavorável.
Por outro lado, é importante manter o otimismo e fazer desse momento oportunidade para reafirmar nossas atividades e competência naquilo que produzimos. Um país do tamanho do Brasil e com uma população com essa grande capacidade de produção tem fôlego e disposição suficiente para reverter a instabilidade atual.
Que tenhamos um ano novo de muito trabalho, mas também de importantes vitórias.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email