quarta-feira, 1
 de 
dezembro
 de 
2021

A Agenda 2030 – Objetivo 17 – Parcerias e Meios de Implementação

Após caminharmos pelos caminhos de 16 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) chegamos ao de número 17. Este último ODS da Organização das Nações Unidas (ONU) visa fortalecer os meios de implementação e revitalizar a parceria global para o desenvolvimento sustentável.

Encontramos nesta ODS algumas metas importantes como por exemplo: mobilização de recursos financeiros adicionais para os países em desenvolvimento a partir de múltiplas fontes; ajuda para os países em desenvolvimento alcançarem a sustentabilidade da dívida de longo prazo por meio de políticas coordenadas destinadas a promover o financiamento, a redução e a reestruturação da dívida, conforme apropriado, e tratar da dívida externa dos países pobres altamente endividados para reduzir o superendividamento; adoção e implementação de regimes de promoção de investimentos para os países menos desenvolvidos; melhoraria na cooperação Norte-Sul, Sul-Sul e triangular regional e internacional e o acesso à ciência, tecnologia e inovação, e aumentar o compartilhamento de conhecimentos em termos mutuamente acordados; promoção do desenvolvimento, a transferência, a disseminação e a difusão de tecnologias ambientalmente corretas para os países em desenvolvimento, em condições favoráveis; reforço do apoio internacional para a implementação eficaz e orientada da capacitação em países em desenvolvimento, a fim de apoiar os planos nacionais para implementar todos os objetivos de desenvolvimento sustentável; aumento significativo das exportações dos países em desenvolvimento; aumento da coerência das políticas para o desenvolvimento sustentável; respeito ao espaço político e a liderança de cada país para estabelecer e implementar políticas para a erradicação da pobreza e o desenvolvimento sustentável; incentivo e promoção de parcerias públicas, público-privadas e com a sociedade civil eficazes, a partir da experiência das estratégias de mobilização de recursos dessas parcerias; até 2020, reforço no apoio à capacitação para os países em desenvolvimento para aumentar significativamente a disponibilidade de dados de alta qualidade, atuais e confiáveis, desagregados por renda, gênero, idade, raça, etnia, status migratório, deficiência, localização geográfica e outras características relevantes em contextos nacionais; até 2030, valer-se de iniciativas existentes para desenvolver medidas do progresso do desenvolvimento sustentável que complementem o produto interno bruto (PIB) e apoiem a capacitação estatística nos países em desenvolvimento.

Reunir o máximo de “andorinhas” para fazermos um melhor verão é possível. Somente um esforço global pode trazer resultados concretos que nos conduzam com segurança pela estrada da sustentabilidade.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email