terça-feira, 27
 de 
fevereiro
 de 
2024

A administração pública e o resultado de equipes qualificadas

Para muitos um dos grandes problemas do Brasil é o tamanho da estrutura pública, que infelizmente, cada vez mais está pesando no orçamento e castigando a população que não suporta tantos impostos. É bom lembrar que toda essa máquina funciona com base nos recursos que saem do bolso do cidadão. O Governo Federal, os Estaduais, os Poderes Judiciários e Legislativos, os Órgãos de Controles, todos sobrevivem, ou melhor vivem muito bem, graças a alta tributação que é imposta ao cidadão comum, ao pequeno, médio e grande empresário.

Se todos esses recursos fossem usados em benefício de melhorias estruturais na vida das pessoas, ou seja, revertessem para elas próprias, ainda vai lá. Mas não é nada disso que acontece. Grande parte dessa gigantesca arrecadação serve mesmo para pagar altos salários aos mais variados detentores de cargos públicos em todas as esferas da federação.

É mais preocupante e triste quando identificado que essa seleta parcela da sociedade na sua grande maioria não presta nenhum tipo de serviço que justifique suas pomposas remunerações. Muitos sequer têm qualificação para os cargos que preenchem e sendo assim não conseguem desempenhar nenhuma atividade em contrapartida do que recebem.

Diante de tudo isso, nota-se que as administrações públicas que conseguem ter o mínimo de equipes qualificadas ligeiramente se diferenciam e conseguem produzir algum tipo de resultado.

Exemplos práticos e próximos são as prefeituras municipais que deixam de inchar sua folha de pagamento com cargos políticos e reservam ao menos parte dessas nomeações para profissionais com formação técnica, conhecimento e condição de entregar resultados.

Não existe mágica na gestão pública, por mais recursos que se tenha quando não existe uma equipe qualificada que possa desenvolver bons projetos e colocá-los em prática, nenhum tipo de conquista ou avanço é possível.

A capacidade de desenvolvimento técnico qualificado dentro de uma gestão vai ser sempre o diferencial para o resultado prático do que é entregue a população como retorno dos seus impostos.

A arrecadação do governo federal com impostos, contribuições e demais receitas atingiu R$ 2,21 trilhões em todo ano de 2022. Vamos imaginar esse valor retornando para os municípios em forma de obras e serviços. Isso não vai acontecer e se depender dessa bolha que vive dos altos salários quem tem mais vai continuar sendo privilegiada e quem tem menos permanecerá sendo castigado.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email