sábado, 29
 de 
janeiro
 de 
2022

Vice-governador visita fábrica da Leão, que planeja duplicar faturamento até 2024

Vice Governador Darci Piana Visita Fabrica de Chá Leão em Fazenda Rio Grande. Foto: Ari Dias/AEN

Com 120 anos de história e nascida no Paraná, a Leão Alimentos e Bebidas foi a responsável pela primeira fábrica de beneficiamento da erva-mate no Brasil. Atualmente líder no segmento de chás por infusão, seu objetivo é continuar crescendo: o grupo quer duplicar seu faturamento até 2024.

A história e o planejamento da empresa foram apresentadas ao vice-governador Darci Piana em uma visita às instalações da fábrica em Fazenda Rio Grande, na Região Metropolitana de Curitiba, nesta quarta-feira (8).

“Esse diálogo é fundamental para começar uma troca que amanhã pode se tornar mais uma cadeia produtiva que vem ajudar nossos agricultores, especialmente os pequenos. Essa primeira conversa franca é relevante para a continuidade e para direcionar os investimentos necessários no Paraná”, afirmou o vice-governador.

A empresa integra o grupo Coca-Cola Brasil desde 2007 e, atualmente, conta com cerca de 60 opções de chás no portfólio. Mais recentemente, seus produtos têm buscado dissociar o consumo do chá a épocas mais frias do ano, buscando novos clientes através da difusão do hábito da bebida. Entre as novidades mais recentes estão chás de infusão em água gelada, cápsulas de chá Leão (compatíveis com as máquinas Nespresso) e a linha de Chá Leãozinho, voltada ao consumo infantil.

Marcelo Correa, gerente comercial da Leão, explica que a categoria de chás no Brasil é extremamente promissora, e que a empresa criou um planejamento para expandir e intensificar esse hábito em diferentes regiões do País.

“Temos uma grande oportunidade de desenvolver essa área. Trazemos junto ao portfólio de chás alguns elementos bem observados pelos consumidores de modo geral – como a saudabilidade, a naturalidade, o cuidado com o bem-estar. Essa categoria por si só carrega todos esses elementos, e isso tem total sinergia com o anseio do consumidor no momento”, apontou.

ESTRUTURA – A companhia conta com duas fábricas, ambas no Paraná. A de Fazenda Rio Grande tem área total de 111 mil metros quadrados, sendo 18 mil de área construída. Sua capacidade de produção supera 1,5 bilhão de sachês por ano. A planta concentra as etapas finais de processamento, como o peneiramento, aromatização, abastecimento, envase e embalagem.

A outra unidade fabril se localiza em Fernandes Pinheiro, no Centro-Sul paranaense, e tem capacidade de beneficiar sete milhões de quilos de erva-mate por ano. São 77 mil metros quadrados, sendo 17 mil de área construída. As etapas de beneficiamento na fábrica são as primeiras após receber a matéria-prima dos agricultores, produzindo o extrato do mate e o chá torrado.

“O Paraná é o berço da erva-mate no Brasil. A gente carrega junto do desenvolvimento do Estado uma história de bastante sinergia há mais de um século. É uma relação bastante estreita, e como o polo produtivo da erva-mate no Brasil está localizado aqui, estrategicamente faz muito sentido estarmos nessa região”, comentou o gerente comercial.

Além disso, o grupo conta com quatro centros de distribuição, localizados em Fazenda Rio Grande, Guarulhos (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Belo Horizonte (BH).

A Leão emprega diretamente 670 pessoas, e gera mais 300 outros empregos indiretos. A empresa preza pela diversidade no quadro de funcionários. No quesito de equidade de gênero, 45% dos colaboradores são mulheres, que também ocupam 38% dos cargos de liderança. Na planta de Fazenda Rio Grande, os números são ainda mais expressivos: 57% do total são mulheres, sendo 47% das posições de liderança ocupadas por elas.

SUSTENTABILIDADE – Um dos pilares promovidos pela empresa na sua expansão é a sustentabilidade, que se estende do trabalho junto aos produtores da erva até as práticas de logística na distribuição.

“A sustentabilidade é bem latente no nosso negócio, é um valor que promovemos. Todo movimento de crescimento sempre acompanha esses pilares, como a destinação correta de resíduos, captação e reutilização da água da chuva, reciclagem de materiais, além do respeito à cadeia de custódia”, explica Alessandro Pendiuk, gerente de supply chain da Leão Alimentos e Bebidas.

A fábrica de Fazenda Rio Grande tem se destacado em termos de aprimoramento na fabricação de chás. Foi a primeira “fábrica verde” do Sistema Coca-Cola na América Latina, sendo pioneira na conquista da certificação LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) na modalidade New Construction. A bio-arquitetura adotada incluiu, à época de sua construção, o maior telhado verde da América Latina, promovendo conforto ambiental, iluminação e ventilação naturais, captação e aproveitamento de água das chuvas.

Para Eduardo Bekin, presidente da Invest Paraná, os objetivos da marca estão alinhados aos princípios sustentáveis do Governo do Estado. “Além do resgate de investir no Paraná e de ser uma marca líder, a Leão é bastante focada em ESG desde a produção, cultivo da erva-mate, o beneficiamento e a industrialização. Ela está em consonância com o que o Governo quer fazer. A gente tem muito a somar entre a marca Leão e a marca Paraná Sustentável”, acrescentou.

Fonte: AEN/PR

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email