quarta-feira, 12
 de 
junho
 de 
2024

VBP do Paraná alcança R$ 191 bilhões em 2022

Grãos são um dos destaques do VBP paranaense. Foto: Gilson Abreu/AEN
Grãos são um dos destaques do Valor Bruto da Produção Agropecuária paranaense. Foto: Gilson Abreu/AEN
Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP), que abrange cerca de 350 itens diversificados, incluindo grãos, proteínas animais, fruticultura, floricultura, silvicultura e uma ampla gama de produtos da agropecuária paranaense, teve crescimento de 6% no período

Em análise preliminar divulgada na última quarta-feira no site da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (Seab), foi indicado que o Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) do Paraná somou R$ 191,2 bilhões em 2022. Os números representam um crescimento de 6% em relação ao VBP de 2021 (R$ 180,6 bilhões), segundo o Departamento de Economia Rural (Deral), responsável pelo levantamento.

O VBP considera, aproximadamente, 350 itens diversificados, incluindo grãos, proteínas animais, fruticultura, floricultura, silvicultura e uma ampla gama de produtos da agropecuária paranaense. Técnicos do Deral fazem a pesquisa dos dados ano com consultas de preços e das condições das lavouras nos municípios.

Para o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, o VBP serve de referência para a repartição do ICMS com os municípios, e explica que a agricultura paranaense enfrentou dificuldades no ano passado, com as condições climáticas impactando safra 2021/2022, prejudicada pelo frio e pela seca. “Tivemos uma quebra de mais de 13,5 milhões de toneladas, considerando o feijão, milho, soja e trigo. Se não fossem as perdas, teríamos alcançado cifras ainda maiores”, completa.

A economista Larissa Nahirny, do Deral, detalha que, apesar das perdas nos grãos, a produção pecuária, que se manteve em patamares elevados, e a valorização dos preços foram fatores relevantes para que o resultado final do VBP fosse satisfatório. “No Paraná, os preços recebidos pelos produtores dos itens pesquisados no VBP aumentaram, em média, 21% em 2022. Das 55 culturas mais expressivas, 39 tiveram variação positiva no período”, diz.

Destaques – Mesmo com a quebra, a soja continuou com o maior valor entre os produtos, alcançando R$ 35,78 bilhões; seguida do frango de corte, com R$ 34,6 bilhões; do milho, com R$ 20,2 bilhões, e do leite, que rendeu aos produtores R$ 11,4 bilhões.

O relatório confirma a liderança da produção pecuária na formação do VBP, representando 51% do valor gerado nas propriedades rurais do Paraná em 2022, com R$ 96,7 bilhões, como analisa Ortigara. “Isso significa que estamos agregando mais valor à soja e ao milho, que são a base da alimentação animal”, aponta.

O setor da avicultura, que inclui produção de frango de corte, para recria, ovos férteis e ovos para consumo, é o primeiro produto na geração de valor nas propriedades rurais no ano passado, com R$ 45 bilhões.

Os grãos correspondem ao segundo grupo mais representativo no valor total (40%), com R$ 76,06 bilhões. A produção florestal somou rendimentos de R$ 9,44 bilhões no Paraná em 2022, um crescimento real de 37% com relação ao ano anterior (R$ 6,2 bilhões). Com rendimento de R$ 6,3 milhões, a produção de hortaliças, teve um crescimento real de 22% comparativamente a 2021, enquanto o setor de frutas atingiu aproximadamente R$ 2,5 bilhões em VBP, valor 7% superior ao registrado em 2021 (R$ 2,10 bilhões).

Municípios – O chefe do Deral, Marcelo Garrido, explica que, a partir da publicação das informações preliminares no Diário Oficial, os técnicos e gestores municipais analisam os números e, caso desejem, podem entrar com recurso fundamentado para questionar dados do desempenho agropecuário. “O prazo é de 30 dias a contar da publicidade oficial. Depois desse período, o Deral divulga o resultado final do VBP de 2022”, orienta.



Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email