quarta-feira, 1
 de 
dezembro
 de 
2021

Urbano Piontkievicz fala do trabalho à frente de entidades quitandinhenses

Urbano Piontkievicz, fundador do Sindicato, o qual preside há 50 anos na cidade de Quitandinha. Foto: Arquivo/O Regional
Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Quitandinha, primeira entidade fundada por ele, está completando 50 anos

O Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Quitandinha, fundado no dia 19 de setembro de 1971, completou nesta semana 50 anos. As cinco décadas de atuação são resultados da iniciativa de seu fundador e presidente desde aquela época, Urbano Piontkievicz. E esta não é a única entidade criada por ele.

O envolvimento coletivo de Urbano começou ainda em sua juventude, antes mesmo da formalização das entidades. Era líder comunitário e religioso na localidade de Doce Grande, onde atuava na atividade rural. Havia um padre holandês que trazia roupas para doação e Piontkievicz ajudava na distribuição. “Foi ele que me incentivou a fundar o sindicato”, conta.

Segundo o presidente, que já mobilizava um ambulatório para atendimento aos trabalhadores rurais, foi uma luta muito grande. “Tínhamos que ter a adesão de mais da metade da classe para juntar com os papéis em Brasília. Começamos com 2 mil associados”, conta. A partir daí foi uma soma de conquistas, como ampliação da sede com apoio da Fetaep, ampliação dos serviços com assistência jurídica, médica e odontológica, e construção de um salão, entre outras benfeitorias.

Hospital Cristo Rei, localizado na área central, é uma das entidades que surgiram através do sindicato. Foto: Arquivo/O Regional

Através do sindicato nasceu outra conquista importante para a população quitandinhense: o hospital, com recursos do Funrural. Foi criada a Fundação Médica e Assistencial do Trabalhador Rural do Município de Quitandinha em novembro de 1980 e Urbano foi presidente dela por 40 anos. “Gastamos de R$ 600 mil a R$ 700 mil por mês para manter a estrutura e equipe médica, sendo maior parte custeada pelo sindicato”, destaca ele, salientando também que nos últimos anos o poder público local tem dado importante contribuição.

Piontkievicz foi ainda o primeiro presidente da Associação Comunitária de Desenvolvimento Cultural e Artístico de Quitandinha, mantenedora da rádio comunitária local, que também começou a partir do sindicato. “Havia uma verba do sindicato para lazer, então fiz o pedido quando houve a disponibilidade”, relata. A fundação desta entidade ocorreu em 2000.

Ele foi também vereador por duas gestões, de 1972 a 1982, sendo presidente da câmara por dois anos. “Por muitos anos, como vereador, não tínhamos remuneração”, recorda. Casado desde os 23 anos de idade com Terezinha Piontkievicz, com a qual teve seis filhos, Urbano relembra como tudo começou. “Acredito que essa vontade de realizar se deu a partir de quanto perdi dois irmãos na juventude, sem ter onde recorrer”, diz. Segundo ele, hoje, aos 86 anos, é uma satisfação ver as entidades funcionando a ajudando a comunidade. Urbano Piotkievicz será homenageado neste sábado, às 14 horas, no salão do sindicato.

 



Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email