segunda-feira, 18
 de 
outubro
 de 
2021

Tijucas do Sul recebe estudo e avança na elaboração do novo plano diretor

Prefeito e vereadores receberam de forma gratuita o estudo elaborado pela Comec e ITCG. Foto: Maurílio CheliO presidente da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), Gilson Santos, recebeu nesta semana o prefeito de Tijucas do Sul, Cesar Matucheski, o presidente da câmara municipal, vereador Zé Antônio dos Santos, e os técnicos do ITCG Diclécio Falcade e Miguel Ângelo Moretti, para fazer a entrega do Estudo de Zoneamento Geológico Geotécnico do município de Tijucas do Sul. Um trabalho realizado pelo ITCG em parceria com a Comec e que possibilitará a revisão do Plano Diretor do município definindo os diferentes tipos de solo, possibilidades de ocupação e áreas de risco da região.

A falta de um estudo detalhado como este é muito prejudicial aos municípios. Além de colocar em risco construções e até vidas, desde a aprovação do Estatuto das Metrópoles, em 2015, passou a ser determinante para a elaboração de projetos e obtenção de recursos.

Metaforicamente falando, esta é a certidão de nascimento de Tijucas do Sul na área de planejamento e possibilitará programar condições sociais, econômicas e ambientais do município. “Com certeza um grande momento para Tijucas do Sul e para nós da Comec que ficamos felizes em poder contribuir com este importante avanço para a região. Agradeço muito a toda equipe técnica do ITCG por este belo e importante trabalho realizado”, destacou Gilson Santos.

Em Tijucas do Sul, a prefeitura está trabalhando na elaboração de um novo projeto para os próximos dez anos. Para o prefeito Cesar Matucheski, o suporte da Comec é fundamental, haja visto que este estudo geotécnico, por exemplo, é oneroso e a prefeitura não teria condições de custear por conta própria.

Concluída esta primeira parte, a prefeitura irá agora reunir entidades e formar um comitê de debate. Em seguida, acontecerão as audiências públicas nas comunidades, onde serão apresentadas as mudanças propostas. “Teremos uma série de correções, ajustando o quadro urbano, legalizando a área industrial, entre outras alterações”, conta Matcuheski. Paralelamente, a prefeitura irá pleitear financiamento para custear os estudos ambiental, de impacto de vizinhança e de acessibilidade, estes avaliados em mais de R$ 100 mil. “Vamos fazer um Plano Diretor que busque atender as nossas necessidades, ouvindo a população e que nos ajude no desenvolvimento da cidade. Esperamos concluir todos os trabalhos até o final deste ano”, finalizou Matucheski.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email