segunda-feira, 15
 de 
abril
 de 
2024

Taxistas da região serão contemplados em programa com auxílio de R$ 1 mil

João Coruja atua como taxista no município de Agudos do Sul e relata a importância do benefício
De acordo com balanço divulgado pelo Governo Federal, há profissionais cadastrados em Agudos do Sul, Contenda, Mandirituba, Piên, Quitandinha, Rio Negro e Tijucas do Sul

 

Está previsto para a próxima terça-feira , dia 16 de agosto, o início do pagamento das duas primeiras parcelas, no valor de R$ 1 mil (cada) do Benefício Taxista aos motoristas de táxi de todo o país cadastrados no programa. O benefício emergencial foi instituído pela Emenda Constitucional nº 123, de 14 de julho de 2022, para enfrentamento do estado de emergência decorrente da elevação extraordinária e imprevisível do preço do petróleo, combustíveis e seus derivados.

O Benefício Taxista tem validade até dezembro deste ano e o número de parcelas poderá ser ajustado considerando o número de trabalhadores beneficiados cadastrados e o limite global de recursos, e o prazo final para envio das informações será 11 de setembro de 2022. Da região, conforme relatório do programa, estão cadastrados profissionais das cidades de Agudos do Sul, Contenda, Mandirituba, Piên, Quitandinha, Rio Negro e Tijucas do Sul.

Em Quitandinha, um dos profissionais que podem ser beneficiados é Elcyo Marcyo Prado, taxista há 12 anos. O motorista relata que os custos da operação do táxi cresceram muito nos últimos anos e que hoje os taxistas estão ganhando cada vez menos e com uma despesa cada vez maior, levando em consideração os impostos, abastecimento e manutenção do veículo. “Quando eu comecei a trabalhar, o preço da gasolina era R$ 2 por exemplo. Hoje, o valor ultrapassa os R$ 5”, comenta.

O taxista Elcyo Prado, de Quitandinha, está há mais de 12 anos atuando neste ramo

Caso seja beneficiado, o profissional afirma que irá aplicar o recurso em despesas. “Geralmente, a gente tem que almoçar na rua e acaba gastando. Hoje, o pouco que a gente ganha é suficiente somente para se manter. Temos que por exemplo fazer o pagamento da prestação do nosso carro”, relata. Prado comenta o alto custo da manutenção do veículo. “Antes a gente conseguia comprar uma peça mais em conta, hoje está tudo muito caro, tudo mais difícil”, acrescenta.

João Pereira Carvalho, conhecido como João Coruja, de Agudos do Sul, relata que os profissionais estão trabalhando sempre no vermelho por conta dos altos custos do combustível e manutenção dos veículos. “Caso consiga, esse auxílio irá me ajudar muito, pois está muito fraca as corridas”, conta. Entre os itens que os profissionais precisam custear todos os meses, conforme relata o motorista, está a troca de óleo, o seguro dos veículos. “Hoje sabemos que não podemos trabalhar sem o nosso veículo estar assegurado, porque está cada vez mais perigoso”, comenta. Segundo o profissional, a quantidade de impostos todos os meses, mais despesas com a manutenção do carro, tornam a profissão dos taxistas cada dia mais desafiadora.



Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email