domingo, 21
 de 
julho
 de 
2024

Seu voto vale uma carona?

Nas últimas semanas, véspera do fim do prazo para regularização de títulos de eleitor, houve uma grande romaria de pessoas até os cartórios eleitorais. Alguns para fazer seu documento pela primeira vez, outros para transferências e ainda outros para corrigir faltas de anos anteriores.
Acontece que na região nem todas as cidades possuem cartórios, as sedes ficam em Rio Negro, Fazenda Rio Grande, São José dos Pinhais e Lapa. Ou seja, quem reside em Piên, Agudos do Sul, Quitandinha, Campo do Tenente, Mandirituba, Contenda e Tijucas do Sul depende de deslocamento.
Se deslocar custa tempo, passagem e combustível. Por isso, é comum por aqui muitos políticos e lideranças oferecerem carona para as sedes dos cartórios eleitorais. Em alguns casos, “rola” até um lanche. É preciso reconhecer que muitos cidadãos não possuem mínimas condições de sair da sua comunidade rural e viajar 200 quilômetros para regularizar um documento. Então, ganhar uma “carona” ida e volta faz muita diferença.
Não é o caso de criminalizar aqueles que promovem o leva e traz de eleitores, porém, é preciso provocar uma reflexão: seu voto vale uma carona? A principal ferramenta do exercício da democracia e de mudança na política, que por quatro anos valida o mandato dos nossos representantes, pode ser trocado por um favor de deslocamento?
Num momento em que vemos o país enfrentando sua maior crise política e econômica, vale refletir sobre nosso papel na sociedade e comportamento como instrumento de transformação.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email