terça-feira, 9
 de 
agosto
 de 
2022

Quando a lei prevalece

A última sexta-feira entra para a história do país como o dia em que um ex-presidente da república foi conduzido para depoimento na Polícia Federal. Não foi prisão, mas a chamada condução coercitiva soou parecido e causou um furacão no Brasil. Independente de julgamento sobre as suspeitas e acusações contra o ex-presidente Lula da Silva, o fato foi uma demonstração real de que a lei prevaleceu.
Neste momento de inúmeras dúvidas, desconfianças e descrédito é muito importante voltar a acreditar na lei. O Brasil vive por longa data a fama de um país onde nutre a impunidade, burocracia, corrupção e justiça morosa. Desde a operação Lava Jato essa legenda vem sendo reescrita e há um sentimento diferente batendo na porta de milhões de brasileiros. Neste domingo, quando uma nova mobilização contra a corrupção sairá às ruas, essa chama ficará ainda mais acesa. Neste período de crise, retração da economia e aumento de desemprego, o combate à corrupção parece ser uma alternativa na recuperação de crédito e novas perspectivas. Lá fora, começam a olhar diferente.
A presença da lei e sua manutenção depende de vários fatores, inclusive da postura de todos os cidadãos que acreditam numa nação mais justa e solidária. O trabalho da Polícia Federal na operação Lava Jato é exemplo a ser seguido. Não importa o tamanho dos atos, os lugares em que acontecem e por quem são praticados, desvios de conduta e maus feitos devem ser julgados e punidos. Na presidência da república, na prefeitura do interior, na grande multinacional ou na venda do bairro. Retidão não pode ser exceção.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email