sexta-feira, 22
 de 
outubro
 de 
2021

Publicidade de eventos é poluição visual nas cidades da Amsulep

Publicidade em locais públicos/Foto:ArquivoQuem promove evento tem como principal objetivo atrair o maior público possível e para isso é fundamental investir na divulgação. Na região, é comum a confecção de cartazes, placas, banners e faixas com o nome, local, dia e horário do evento. Espalhados nos mais diversos pontos, esses materiais buscam informar e atrair as pessoas.

O grande problema é que os promotores dos eventos colocam seus produtos de divulgação em locais inadequados, que além de resultar na poluição visual da cidade também prejudicam a segurança das pessoas. Muitos banners e faixas são fixados nos trevos das cidades, dificultando a visibilidade dos motoristas e contribuindo para acidentes. “Aconteceu aqui em Agudos do Sul na semana passada. Um motorista ficou lendo a propaganda e bateu em uma moto que aguardava na rotatória”, conta Nirto Guisi.

Boa parte do material é fixado nos postes de energia elétrica e também nos canteiros e praças. Os eventos acontecem mas ninguém volta para retirar as propagandas. Nenhuma prefeitura da região tem regulamentação sobre o assunto e também não notifica quem produz a poluição visual.

Encontrar o equilíbrio entre a comunicação visual e a poluição urbana passa por uma série de questões polêmicas. Afinal, interesses comerciais envolvem o dia-a-dia das cidades – dos pequenos municípios às grandes metrópoles. Em algumas cidades foram aprovadas leis proibindo a colocação desse tipo de publicidade em pontos públicos. Empresas que não respeitam a regulamentação recebem multas.

Os chamados códigos de postura dos municípios servem para estabelecer regras e garantir a convivência harmônica entre os moradores. Acontece que muitos desses códigos não são colocados em prática ou estão defasados.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email