terça-feira, 9
 de 
agosto
 de 
2022

Prefeituras da região terão incremento de R$ 5,3 milhões com mudança no ISS

Prefeitura de Quitandinha receberá quase 170 mil reais a mais no orçamento com a efetivação da mudança. Foto: DivulgaçãoO suleste paranaense terá um ganho anual de R$ 5,3 milhões nas receitas das prefeituras com o Imposto Sobre Serviços (ISS) com a derrubada, pelo congresso nacional, dos trechos vetados pelo governo federal da nova lei do tributo, que define nova redistribuição do valor arrecadado com o ISS entre os municípios de uma maneira mais justa. Em todo o estado, o incremento estimado nas 399 cidades soma R$ 344 milhões.

O texto que garantia a redistribuição do ISS, tratando da mudança do local de recolhimento do imposto, havia sido vetado pelo presidente Michel Temer em dezembro de 2016. Desde então, a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), a Associação dos Municípios do Paraná (AMP) e as demais organizações municipalistas iniciaram uma luta junto aos parlamentares para a derrubada do veto para garantir a redistribuição do ISS de cartões de crédito e débito, leasing e planos de saúde.

Na última terça-feira, o congresso nacional, em sessão conjunta da câmara e do senado, derrubou os trechos vetados. Com a decisão, a Lei da Reforma do ISS volta ao seu texto original. Assim, o recolhimento do tributo referente a operações de cartão, leasing e planos de saúde será repassado aos municípios onde o tomador de serviços está localizado. Atualmente, o valor arrecadado é destinado às cidades onde as empresas que prestam o serviço do cartão de crédito e afins estão instaladas.

O contador João Airton Negrelli, da prefeitura de Agudos do Sul, explica que na distribuição atual, nestas operações, o município não recebe ISS, o que pode mudar com a redistribuição. Em Agudos, a estimativa de incremento com o imposto é de R$ 70,8 mil.

O secretário municipal da Fazenda de Rio Negro, Wilson Scheuer, reforça a importância de que o imposto deve ficar no município onde ocorreu o fato gerador e não na cidade sede da empresa, por isso torceu pela derrubada do veto. Para Rio Negro, o aumento na receita poderá ser de R$ 785,8 mil. “Isso representa dois meses de nossa receita geral de ISS”, destaca.

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email