sexta-feira, 25
 de 
junho
 de 
2021

Polícia Civil prende suspeitos de feminicídios em Curitiba e Campo Largo

 Foto:PCPR
Foto:PCPR

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) esclareceu o feminicídio da gerente de banco Tatiana Lorenzetti, ocorrido na  segunda-feira (28), no bairro Capão Raso, em Curitiba. Três homens suspeitos de envolvimento no crime, entre eles o ex-marido da mulher, foram presos na terça-feira (29).

O ex-marido da vítima é suspeito de ter encomendado a morte da mulher. De acordo com as investigações, ele teria oferecido R$ 25 mil para que um criminoso matasse Tatiana. Os outros dois indivíduos presos são suspeitos de arquitetar o crime e ainda dar apoio na fuga do atirador – que foi morto em confronto com a Polícia Militar minutos após tirar a vida da gerente bancária.

Dentro do lixo do carro em que o atirador fugiria, os policias civis encontraram um pendrive com imagens da frente da casa da vítima, mostrando o carro do ex-marido do outro lado da rua. As imagens são do mês de abril deste ano. Os suspeitos que dariam apoio à fuga disseram que o equipamento estava na bolsa da vítima.

A PCPR apurou, ainda, que o ex-companheiro de Tatiana teria planejado sua morte com a intenção de ficar com a guarda da filha dos dois. Com isso, se tornaria responsável por um seguro de vida que estaria em nome da criança.

As investigações ainda estão em curso com o objetivo de capturar uma quarta pessoa com envolvimento no crime.

Tatiana foi morta em frente a agência bancária em que trabalhava. Ela havia saído para almoçar e foi abordada pelo criminoso, que tentou simular um latrocínio (roubo seguido de morte). O criminoso pegou a bolsa da vítima e em seguida atirou contra ela.

NOITE DE NATAL – A Polícia Civil prendeu também preventivamente o namorado de Evelaine Aparecida Ricardo, de 29 anos, vítima de feminicídio ocorrido na noite de Natal, em Campo Largo, no bairro Bom Jesus. A prisão do suspeito foi realizada nesta quarta-feira (30), no mesmo município.

O casal participava de confraternização natalina da família, no dia do crime. De acordo com testemunhas, o suspeito teria pegado o celular de Evelaine e em seguida atirado em sua cabeça, na frente da casa do irmão – onde estava sendo realizada o encontro.

A mulher foi socorrida e encaminhada ao hospital, porém morreu horas depois. O casal estava junto há três meses.

Fonte: AEN

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email