sábado, 25
 de 
maio
 de 
2024

Pinhais divulga levantamento sobre Aedes aegypti

Município realizou levantamentos sobre mosquito transmissor da dengue. Foto: Assessoria de Imprensa/Prefeitura de Pinhais
Município realizou levantamentos sobre mosquito transmissor da dengue. Foto: Assessoria de Imprensa/Prefeitura de Pinhais
Foram inspecionados no levantamento 3.017 imóveis e encontrados 26 focos positivos do mosquito. Índice de Infestação Predial é classificado como satisfatório

Foram divulgados, pela prefeitura de Pinhais, os resultados do 4º Levantamento de Índice Rápido para o Aedes aegypti (LIRAa). O relatório, divulgado por meio da Seção de Vigilância de Zoonoses, da Secretaria de Saúde, se refere ao período compreendido entre os dias 16 e 25 de outubro.

Foram inspecionados neste levantamento 3.017 imóveis e encontrados 26 focos positivos do mosquito Aedes aegypti em residências, comércios e terrenos baldios. Segundo a prefeitura, o Índice de Infestação Predial obtido no município foi de 0,66 e é classificado como satisfatório. Dentro das residências, os locais onde foram encontradas mais larvas foram vasos e pratos de plantas.

Segundo Priscila Cristiane Bordin, da Gerência de Vigilância em Saúde Ambiental, do Departamento de Vigilância em Saúde, esse levantamento é o último realizado em 2023, totalizando quatro ciclos. “Comparando os índices de infestação ao longo do ano, foi verificado que eles variaram apresentando nível de risco médio no 1° e 2° levantamento (com índices de 1,25 e 2,16 respectivamente) e baixo risco nos 3° e 4° levantamento, com índices de 0,53 e 0,66 respectivamente”, explica.

Apesar de ter ocorrido diminuição do Índice de Infestação para o mosquito da dengue nos dois últimos levantamentos, as vistorias dos agentes de endemias resultaram na coleta de larvas de outros mosquitos que utilizam as mesmas condições para se reproduzir. “Desses recipientes, os tonéis de armazenamento de água da chuva foram os principais focos de Aedes aegypti nos três primeiros levantamentos. Somente no último ocorreu mudança, com maior quantidade de focos em vasos e pratos de plantas”, salienta Priscila.

Segundo o poder público, os dados obtidos ao longo da execução dos LIRAas são importantes para verificar os locais de ocorrência do mosquito da dengue dentro do município e dessa forma fornecer informações para planejar ações de combate ao Aedes aegypti.



Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email