sábado, 29
 de 
janeiro
 de 
2022

Pedágio entre Lapa e Contenda ficará sem cobranças a partir de domingo

Impactos devem ser gerados em empresas e sentidos por usuários das rodovias

Rodovias do Paraná ficarão sem concessão a partir deste domingo, e com isso, dezenas de mudanças devem afetar os usuários. Uma delas, a positiva, é que cobranças que eram feitas, deixarão de existir. O tempo estimado pelo Governo do Estado é de um ano, tempo hábil para que novas empresas assumam as administrações das estradas paranaenses.
Um ponto sensível do fim da concessão, é que o Governo do Estado, através do Departamento de Estrada e Rodagem (DER) passará a administrar atendimentos de acidentes, entre outros. Fator preocupante, pois com o fim do pedágio, estima-se que aumente o tráfego de veículos.
A analista de transporte da Cooperativa Bom Jesus, da Lapa, Josiane Maria Hoffman da Silva, afirma que as empresas terão uma redução nos custos. “Nós teremos uma redução nos custos, mesmo que seja mínima. Por exemplo, no pedágio da Lapa, nosso custo era de R$ 4 por tonelada”, argumenta a analista.
A analista argumenta que mudanças podem ocorrer no valor do frete na próxima safra, que deve começar nos meses de fevereiro e março. “A gente faz a cotação do valor do frete e vamos lutar para que haja uma diminuição por conta do fim da cobrança do pedágio”, afirma Josiane.
Uma das maiores preocupações do setor, segundo a analista de transporte, é com a manutenção da rodovia. “A cobrança do pedágio deixará de existir por um tempo e quem vai atender a manutenção da rodovia?”, indaga. É a parte negativa do fim da concessão, segundo a analista de transporte da Cooperativa Bom Jesus.
Em um primeiro momento, haverá a redução de custos. Mas para o ano que vem, a Cooperativa irá alinhar com os fornecedores do transporte se será possível manter preços diferentes, um diferencial, segundo Josiane.
Impactos – O Tribunal de Contas do Paraná elaborou na última semana uma série de recomendações ao governo do estado para que reduza o valor das tarifas dos ônibus que passam pelos pedágios, visto que nas cobranças são embutidos valores das tarifas. Segundo o TC, a redução deve ser feita de maneira proporcional.
Segundo o relatório, a questão do corte nas cobranças dos pedágios impactará imediatamente nas tarifas de transporte intermunicipal. Por isso, segundo o TC, será responsabilidade do DER fazer um plano de contingência imediatamente posterior ao dia do encerramento da concessão no sentido de anunciar a redução proporcional no preço das passagens rodoviárias.



 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email