sábado, 25
 de 
setembro
 de 
2021

Parque Estadual do Monge reabre para visitação na cidade da Lapa

Autoridades estiveram presentes na cerimônia de reabertura do atrativo turístico, que foi realizada na manhã do último sábado. Foto: Divulgação/SEDEST/IATO Parque Estadual do Monge foi reaberto ao público no último sábado. A solenidade de reabertura aconteceu no receptivo turístico e contou com a participação de autoridades municipais e estaduais. Enquanto permaneceu fechado, o local recebeu reformas e adequações dentro das políticas públicas previstas no Projeto Parques Paraná.

Em seu pronunciamento, o prefeito da Lapa, Diego Ribas, agradeceu ao governador Carlos Massa Ratinho Júnior pelo apoio nas demandas existentes na estrutura. “A reabertura do parque foi uma das primeiras solicitações que fizemos e de pronto fomos atendidos”, destacou. Ribas lembrou que estão em andamento as tratativas para a revitalização do acesso ao parque, com a instalação de ciclovia e pista de caminhada.

As novas estruturas garantem o cumprimento das normas e orientações estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde e a Secretaria Estadual da Saúde para prevenir o contágio da Covid-19. Outras reformas estão programadas, como a instalação de um circuito de cicloturismo na área interna do parque e a licitação de um novo espaço de cafeteria.

De acordo com o secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes, os parques estaduais do Paraná se mostraram os destinos mais procurados pela população durante a pandemia. “O turismo foi um dos setores mais impactados pela pandemia e durante esses meses trabalhamos para que ele saia fortalecido”, destacou.

A Gruta do Monge, local de peregrinação religiosa, é uma das principais atrações do parque. Neste espaço viveu por algum tempo o monge João Maria D’Agostinis, que se dedicava ao estudo das plantas da região, medicava enfermos, fazia profecias e orações.

Para chegar à gruta o visitante passa por uma escada em pedra que desce até uma fonte de água pura. O parque tem também um mirante com estrutura em concreto, piso em deck de madeira ecológica e guarda-corpo metálico que proporciona ampla visão da cidade da Lapa.

Os visitantes também podem admirar a Pedra Partida, originada devido ao desgaste ao longo de milhares de anos. O atrativo é considerado pelos visitantes um local onde é possível ver a imagem do monge João Maria D’Agostinis. Quem gosta de praticar a meditação junto à natureza pode aproveitar o Espaço Monge.

O parque abriga ainda espécies da fauna como cachorro-do-mato, lobo-guará, irara, furão, lontra, gato-mourisco, cutia, curicaca, garça-vaqueira, jacuaçu, saracura-do-mato, asa-branca, beija-flor-preto e martim-pescador-pequeno. A flora é formada por erva-mate, pinheiro-do-paraná, gerivá, ipê-roxo, carvalho-brasileiro, canela, canela-branca, imbuia, cedro-branco, cambuí e outros.
Assim como todas as unidades de conservação do estado, o Parque do Monge funcionará de acordo com as regras estabelecidas para evitar a proliferação do coronavírus. Entre elas, estão o agendamento e cadastro do visitante, uso de máscaras, álcool em gel e o distanciamento social.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email