segunda-feira, 29
 de 
novembro
 de 
2021

Paraná se destaca na transparência de dados sobre produtos florestais

Conforme apontado pelo Ibama, Paraná é o estado com maior transparência de dados sobre produtos florestais. Foto: Sedest
Estado lidera a utilização do Sistema Nacional de Controle da Origem dos Produtos Florestais (Sinaflor), conforme constatação do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) durante a live “Supressão Vegetal – Aspectos Legais”, na última quarta-feira

O governo do Paraná se destaca na transparência das movimentações dos produtos florestais. É o que é indicado pela liderança do estado na utilização do Sistema Nacional de Controle da Origem dos Produtos Florestais (Sinaflor), constatação do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (Ibama) feita na última quarta-feira durante a live “Supressão Vegetal – Aspectos Legais”. O Sinaflor reúne o controle da origem da madeira, do carvão e de outros produtos ou subprodutos florestais, sob coordenação, fiscalização e regulamentação do Ibama.

O órgão gestor responsável pelos licenciamentos dos empreendimentos no Paraná é o Instituto Água e Terra (IAT). O diretor de Licenciamento e Outorga, José Volnei Bisognin, que representou o Estado no encontro virtual, afirmou que o sistema é bastante complexo e que para sua utilização todos os servidores passaram por capacitação. “Fizemos treinamento com o nosso próprio corpo técnico, consultores e agora estamos com os municípios para que saibam acessar e informar os dados dentro do sistema”, disse.

O sistema tem como objetivo melhorar o nível de controle de origem, rastreando desde as autorizações de exploração até seu transporte, armazenamento, industrialização e exportação. Todos os estados do país devem usar o Sinaflor desde 2018, de maneira gradual, para emitir autorizações de exploração e comercialização desses produtos.

O Paraná também contribuiu para modificações realizadas no sistema nacional, com a apresentação de 31 propostas para melhorar o cadastro das informações por parte dos técnicos do IAT e municípios. Segundo o coordenador-geral do Uso da Biodiversidade e Comércio Exterior (CGMoc) do Ibama, Rafael Macedo, a utilização do Sinaflor é fundamental. “A liderança demonstra um engajamento tanto do órgão de controle do Paraná como dos requerentes no uso do sistema”, afirmou.

Sinaflor – O sistema foi criado para controle das atividades florestais, empreendimentos de base florestal e processos correlatos por parte do Sistema Nacional do Meio Ambiente (Sisnama). Ele integra informações de imóveis rurais, de autorizações de exploração e de transporte e armazenamento de produtos florestais. Devem ser cadastradas no sistema as solicitações de Plano de Manejo Florestal Sustentável (PMFS), Uso Alternativo do Solo (UAS), Exploração de Floresta Plantada (EFP), Autorização de Supressão de Vegetação (ASV), Corte de Árvore Isolada (CAI), Plano de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD) e Reposição Florestal. De 2018 a 2020 existiam 1.998 declarações emitidas pelo Paraná. Neste ano foram 2.926 autorizações. Há 6.323 empreendimentos ativos no sistema.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email