quarta-feira, 17
 de 
agosto
 de 
2022

Paraná pode aumentar produção de bicho-da-seda em até 50%

Paraná pode aumentar produção de bicho-da-seda em até 50%/Foto: Divulgação UEMDepois de perder espaço, a cultura do bicho-da-seda no Paraná se recupera, graças aos ganhos de rendimento e a retomada da demanda mundial de fio de seda. A maior parte da produção paranaense de casulos tem como destino a fabricação de fios crus que serão exportados para França, Itália e Japão.
A atividade emprega oito mil pessoas, é típica de pequenas propriedades e está concentrada na região Noroeste do estado, onde está o Vale da Seda, que congrega 29 municípios.
Maior polo de sericicultura do Brasil e o maior do Ocidente, o Paraná tem potencial para aumentar a safra em até 50% nos próximos anos, prevê Oswaldo da Silva Pádua, técnico da Emater e gerente da Câmara Técnica da Seda no Paraná. “O fio de seda paranaense é considerado o melhor do mundo e o mercado internacional está superaquecido. Não se exporta mais porque não há produção suficiente de casulos para atender a demanda”, diz.
De acordo com Pádua, o estado pode ampliar em até mil toneladas a produção por safra. Na safra 2015/2016, o Paraná produziu 2.195 toneladas de casulos, 5% mais do que na anterior. O volume responde por 86% da produção nacional.

Fonte: AEN

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email