sábado, 19
 de 
junho
 de 
2021

Paraná cria protocolo e prevê retorno das aulas presenciais em setembro

Novo formato prevê o distanciamento em sala de aula com o isolamento de carteiras. Foto: Divulgação/SeedSuspensas desde o dia 20 de março em decorrência do coronavírus, as aulas presenciais em todo o Paraná ainda não têm uma data prevista para retornar. Se preparando para uma nova realidade, a Secretaria de Estado da Educação (Seed), juntamente com os representantes do comitê que foi criado para o debate deste tema, elaborou um protocolo para a retomada das atividades em sala de aula.

Neste novo formato será adotado o ensino híbrido, intercalando a cada semana aulas presenciais de forma escalonada e online, estando as famílias livres para adotar ou não esta opção. Estudantes que apresentam bom rendimento no ensino à distância, podem continuar exclusivamente neste método, também estando a cargo dos pais ou responsáveis esta escolha.

Para as aulas presenciais, as instituições terão que adotar medidas que garantam o distanciamento mínimo de 1,5 metro, realizando ainda a demarcação em pontos onde podem ser registradas aglomerações. Os intervalos, assim como a chegada e a saída dos alunos, devem ser feitos de forma escalonada. Será proibido o compartilhamento de qualquer objeto e as exercícios físicos não devem ter contato, assim como as atividades em salas ambientes onde há manuseio de materiais próprios desses espaços.

Diariamente, haverá aferição de temperatura e o encaminhamento direto para a sala de aula. Em caso de registro igual ou maior que 37ºC, o estudante será isolado e acionado os responsáveis. Também haverá reforço na higienização das mãos e das repartições das instituições. Permanecerão cancelados eventos com aglomerações de pessoas.

O protocolo prevê a retomada das aulas presenciais de forma gradativa, semanalmente, por regional, de acordo com o desenvolvimento da pandemia. A prioridade de reinício seguirá na seguinte ordem: 1º estudantes do 3º ano do ensino médio e 9º ano do ensino fundamental; 2º alunos do ensino médio; 3º estudantes do ensino fundamental I e II; e 4º crianças da educação infantil. Alunos menores de dois anos não vão retornar às atividades, devido à dificuldade de cumprimento das normas.

Entre outras medidas, o transporte escolar deverá atuar com limite máximo de 50% de sua capacidade. Caso ocorra contaminação de aluno ou professor, a escola deverá ser interditada por 14 dias, retomando ao modelo 100% online neste período. Vale ressaltar, que os pais ou responsáveis que decidirem pelo retorno presencial do estudante deverão apresentar o termo de ciência assinado.

De acordo com o diretor geral da Seed, Gláucio Dias, a estimativa inicial é de que o retorno das aulas presenciais aconteça em setembro, estando esta data sujeita a análises de infectologistas. “Esta retomada somente acontecerá quando houver um ambiente seguro, estabelecido pelos órgãos da Saúde. O que estamos fazendo é nos planejar e, após amplo debate com todas as entidades que integram a educação do Paraná, foi criado um modelo que garante a melhor segurança sanitária para os alunos, adotando modelos do Brasil e do mundo”, enfatiza Dias.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email