quarta-feira, 17
 de 
agosto
 de 
2022

Paraná atraiu R$ 120 bilhões em investimentos em três anos

Ratinho Junior participou de evento da Invest Paraná. Foto: Ari Dias
Balanço apresentado pelo governador Ratinho Junior tem como base o volume de licenciamentos concedidos pelo Estado pelo Instituto Água e Terra entre janeiro de 2019 e março de 2022

 

O Paraná atraiu R$ 120 bilhões em investimentos privados no setor industrial em pouco mais de três anos. Conforme o balanço do governo do Estado, o valor é três vezes superior ao previsto inicialmente para o período, de R$ 40 bilhões.

A informação dos indicadores econômicos foi anunciada pelo Estado, através do governador Ratinho Junior, em um encontro com empresários realizado na última terça-feira, no Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba.

O balanço é da Invest Paraná, que é responsável pela atração de novos negócios e empresas. O órgão tem como base o volume de licenciamentos concedidos no Estado pelo Instituto Água e Terra (IAT) e corresponde a um período de 39 meses, entre janeiro de 2019 e março de 2022.

Entre as 32 indústrias que se instalaram no Paraná no período estão a maior altaria, em Ponta Grossa e a maior fábrica de queijos do Brasil, em São Jorge D’Oeste. Além disso, é possível citar a maior fábrica de salsichas e empanados do mundo, que está localizada em Rolândia e o maior frigorífico da América Latina, de Assis Chateaubriand. Também há as ampliações das plantas das empresas multinacionais Klabin, Volkswagen, Renault, Gazin, Boticário, além da expansão de cooperativas agrícolas.

O governador Ratinho Junior agradeceu os empresários que investem no Estado e ajudam de alguma maneira na geração de novos empregos. “É um momento de agradecer a quem acreditou e acredita no Paraná. Quem gera emprego e renda e faz esse Estado tão fantástico. Estipulamos uma meta bem audaciosa, quase utópica, chegar a R$ 40 bilhões de investimentos e hoje podemos anunciar R$ 120 bilhões. Isso é fruto de muito trabalho, da desburocratização da máquina pública e de uma política voltada para trabalhar ao lado do setor produtivo”, destacou.

A atração de novas empresas impacta diretamente a geração de empregos e a renda de todas as regiões do Paraná. Isso porque, com esses recursos foram abertos mais de 60 mil empregos, diretos e indiretos, o que ajuda o Paraná a ter a menor taxa de desemprego dos últimos sete anos.

O Estado bateu no ano passado o recorde de novas vagas formais no mercado de trabalho, com um saldo de 172 mil empregos, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e da Previdência. Esse balanço de acordo com o governador Ratinho Junior aproxima o Estado do pleno emprego, o que ocorre quando a população economicamente ativa está quase toda ocupada.

Segundo o que aponta o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no primeiro trimestre deste ano, esse índice ficou em 6,8% no Estado, quatro pontos percentuais abaixo da média nacional que é 11,1%. Segundo os economistas, isso é próximo do considerado dentro da totalidade da população efetivamente ocupada, que é em torno de 4% a 6%.

*Com informações da AEN/PR

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email