sexta-feira, 24
 de 
setembro
 de 
2021

Paraná anuncia R$ 820 milhões para modernizar distribuição de energia

Governador Ratinho Junior assinou a documentação para o início deste amplo projeto. Foto: José Fernando Ogura/AENEm ato realizado na última quarta-feira, no Palácio Iguaçu, o governador Carlos Massa Ratinho Junior apresentou o programa Rede Elétrica Inteligente, que será implantado pela Copel, com investimento total de R$ 820 milhões. O programa tem como objetivo modernizar a gestão e a distribuição de energia elétrica no Estado, e na primeira fase serão atendidos 151 municípios, incluindo a Região Metropolitana de Curitiba, beneficiando aproximadamente 4,5 milhões de paranaenses.

O novo sistema prevê que as unidades consumidoras terão medidores digitais que se comunicam diretamente com o Centro Integrado de Operação da Distribuição da Copel, facilitando o controle de toda a cadeia, da subestação até o consumidor final. O investimento tecnológico permitirá leitura de consumo à distância e autonomia para o cidadão monitorar seu consumo em tempo real por aplicativo, e deve reduzir o tempo de desligamento provocado por intempéries e outros fatores externos ao sistema.

Segundo o governador, a rede será totalmente automatizada e o programa é um salto histórico que permite, entre várias novas soluções, acabar com furtos de energia, tornar as cidades cada vez mais inteligentes e garantir monitoramento amplo da rede para, inclusive, diminuir as tarifas. Ele ressaltou ainda que o programa será implementado sem qualquer custo adicional para os clientes e a primeira fase de implementação deve durar 30 meses. “A Copel tinha o compromisso de olhar mais para o Estado, realizar investimentos regionais. Já temos o Paraná Trifásico em pleno funcionamento, com mais de mil quilômetros instalados para fomentar o desenvolvimento econômico das propriedades rurais, estruturando ainda mais a cadeia do agronegócio, e agora os municípios passarão a ter um sistema ainda mais moderno e seguro”, disse.

O governador complementou que o Paraná tem vocação para produzir e gerar energia com qualidade e que deve apostar cada vez mais nesse segmento. “Somos os maiores produtores de energia do Brasil e fazemos isso de maneira sustentável”, acrescentou Ratinho Junior. “A Copel hoje vale mais de R$ 20 bilhões. Ela está ajudando o Paraná a ser o Estado mais inovador do país”, avaliou.

Segundo Daniel Pimentel, presidente da Copel, o programa é uma revolução tecnológica no setor e coloca o Paraná cada vez mais na vitrine dos investimentos privados, fundamentais, sobretudo, para a recuperação das condições da economia depois da pandemia. “Esse programa está nesse escopo e será o maior de redes inteligentes do país. Vamos evitar deslocamentos desnecessários dos eletricistas, atender as demandas elétricas com rapidez e possibilitar geração de dados qualificados para a Copel e os consumidores”, afirmou o presidente da companhia. “Estamos garantindo estabilidade e que o comércio, a indústria e o agronegócio continuem a crescer no Paraná”, pontuou.

Benefícios – Menos tempo e menos desligamentos: Monitorado de forma remota, o medidor inteligente permite à Copel localizar com precisão o ponto onde ocorreu o desligamento na rede. Com a integração aos demais dispositivos de operação, ele permite o isolamento do defeito e o envio rápido de uma equipe para o local do problema. Religação automática: O programa é composto de sistemas de reconfiguração de rede (religadores automáticos) e reguladores de tensão em tempo real. Eles se integram aos sistemas de informação e têm potencial para integrar outros serviços no futuro, como microgeração distribuída, tecnologias de armazenamento de energia, iluminação pública inteligente e abastecimento de carros elétricos. Controle do consumo: O medidor inteligente fornece ao cliente informações para subsidiar o controle do consumo em tempo real como, por exemplo, quais equipamentos estão influenciando mais no gasto de energia. Leitura à distância: A leitura do consumo nas residências será feita de forma remota. Qualidade da energia: O medidor também permite à Copel monitorar a qualidade do fornecimento às unidades consumidoras a partir de variáveis como tensão, corrente e potência, antecipando possíveis falhas.

Etapas – A primeira fase do programa Rede Elétrica Inteligente foi dividida em duas etapas. Em julho a Copel Distribuição realizou a maior licitação da sua história para contratar o fornecedor que instalará a tecnologia nas primeiras 73 cidades. Somente nesta etapa são R$ 252 milhões aplicados já a partir deste ano. A implantação definitiva ocorrerá até o segundo semestre de 2022. Na segunda etapa do programa, estão previstos para serem contemplados municípios da região.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email