terça-feira, 26
 de 
outubro
 de 
2021

Num mundo cada vez mais difícil e competitivo, “elas” se destacam

Vanessa recorda o início com a venda de bombons. Foto: Arquivo/O RegionalFlores, mensagens e reconhecimento a esta importante personalidade. Hoje, dia em que é comemorado o Dia Internacional da Mulher, o jornal O Regional traz em sua edição a história de mulheres que se dedicam ao ramo empresarial e têm se destacado neste difícil e competitivo meio.

Com a venda de bombons para custear a faculdade de administração, a quitandinhense Vanessa de Brito da Cruz teve a primeira identificação com o comércio. “No começo levava os bombons em pequenos potes, mas, em seguida foram necessárias mochilas tendo em vista a grande procura. Assim paguei toda minha faculdade”, recorda Vanessa. Ao concluir o ensino superior, ela continuou trabalhando em feiras com a família, onde eram vendidos pastéis, doces e caldo de cana. “Continuamente, o número de clientes aumentava”, conta.

Com a grande adesão dos clientes, Vanessa decidiu abrir uma pastelaria e confeitaria em 2014. “Com o tempo passamos a servir almoço e buscando sempre apresentar novidades à clientela”, relata Vanessa. Para ela, a mulher empreendedora precisa ter o dom da atividade que exerce e força de vontade para ter sucesso. “Eu gosto do que faço, sou detalhista e exigente. Ter o próprio negócio tem muitos altos e baixos, por isso, é preciso persistir e acreditar sempre em dias melhores”, destaca.

Quem também conta sua identificação com o ramo empresarial é Micheli Milcheski, de Agudos do Sul. “Comecei muito cedo, na época recebemos um incentivo do meu pai para iniciar no ramo de supermercado. Iniciei na reposição de mercadorias, trabalhei no caixa e no setor de compras até chegar a gerência da loja com meu esposo”, detalha. Apesar de estar trabalhando em negócio próprio, Micheli optou por realizar faculdade de farmácia. “Nos anos seguintes, assumi a direção do supermercado e decidi abrir minha própria farmácia”, comenta Micheli, que também possui uma loja de roupas.

Micheli destaca a importância de conhecer o empreendimento. Foto: Divulgação

Com toda a intensa rotina diária, Micheli ressalta que, além de empresária, a mulher tem o fundamental papel de mãe, filha e esposa. “Eu gosto de trabalhar no comércio, não me vejo fora dele, mas é necessário eleger prioridades, ser criativa e se desdobrar para cumprir com todas estas funções”, pontua. Para ela, as mulheres que buscam ser empresárias precisam traçar metas e ter o conhecimento detalhado de cada setor do ramo em que atuam. “Por várias vezes pensamos em desistir com as adversidades que enfrentamos. Mas toda mulher, quando tem um objetivo claro, ela luta e consegue realizar seus sonhos. Hoje já somamos 17 anos no ramo comercial. Em resumo, vejo que tudo acontece com a graça de Deus, nós nos esforçamos, pedimos a Ele, e Ele que permite o que é melhor para a nossa vida ”, concluiu.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email