segunda-feira, 4
 de 
julho
 de 
2022

Municípios do Paraná realizaram protestos contra crise financeira

Prefeitura de Agudos aderiu ao protesto e fechou as portas na última segunda-feira/Foto: Arquivo / O RegionalUma mobilização que envolveu prefeituras de todo o estado foi a forma encontrada para protestar contra a grave crise financeira que atinge as cidades. No suleste paranaense, no entanto, poucas prefeituras aderiram totalmente, fechando as portas, como pedia a organização.
A adesão total foi apenas de Agudos do Sul, onde o Fundo de Participação dos Municípios (FPM), que sofreu grande queda e foi um dos principais motivos do protesto, representa 50% da arrecadação. Devido a essa diminuição nos repasses, o prefeito Antonio da Luz vem realizando reuniões com as secretarias para debater cortes de gastos.
Em todo o estado, a paralisação atingiu 80% dos municípios, segundo números da Associação dos Municípios do Paraná (AMP), que encabeçou o movimento. Além disso, os prefeitos promoveram atos públicos e entregaram panfletos para denunciar o problema à sociedade e à imprensa.
Um dos pontos altos da mobilização foi o pronunciamento do presidente da AMP, Marcel Micheletto, na Assembleia Legislativa. Nele, Micheletto pediu o apoio dos 54 deputados estaduais ao movimento. Depois, o presidente entregou pauta de reivindicações estadual ao presidente da casa, deputado Ademar Traiano. Também, segundo a AMP, foram cobrados pela mobilização compromissos não cumpridos pelo governo federal.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email