terça-feira, 28
 de 
setembro
 de 
2021

Moradora de Quitandinha é selecionada para intercâmbio em Harvard nos EUA

foto-gessica2 (2)A moradora de Quitandinha Géssica Pereira, que tem 24 anos, é a primeira pessoa de sua família a entrar em uma universidade. No ano passado, ela estava procurando programas que pudessem agregar em sua vida acadêmica, mas não especificamente em Harvard.

Seus amigos comentaram sobre o programa Crossroads Emerging Leaders Program (Como formar líderes em países emergentes), que tinha como critérios ser a primeira pessoa da família a ingressar em uma faculdade, além de ter um bom desenvolvimento acadêmico.

O programa é uma parceria da universidade com um instituto asiático, tendo por objetivo formar líderes mundiais dentro de economias emergentes. Selecionando um estudante, de um país em desenvolvimento, capacitar o aluno para que cresça na carreira e se torne um líder. Para que transformem a realidade social do país onde vivem, promovendo algum impacto.

“Eu fui no site do programa, me inscrevi, preenchi um formulário que era bem grande, que perguntava questões minhas e da minha família”, conta Géssica. A jovem teve que enviar um currículo em inglês, junto com uma carta de motivação, explicando o porquê gostaria de participar do programa e ganhar a bolsa. Além de ter de enviar seu histórico acadêmico e documentos pessoais.

“Quando escrevi minha carta de motivação, contei a história da minha vida. Da acadêmica, desde criancinha, porque sempre tive um bom desempenho na escola, sempre tirei notas boas, dez em quase tudo”, comenta. No ano de 2008, Géssica recebeu uma menção honrosa por sua participação na Olimpíada de Matemática, onde representou o colégio Eleutério Fernandes de Andrade, de Quitandinha.

Foi aprovada em diversos vestibulares, inclusive em Medicina pela Universidade Federal do Paraná. Em Economia e Filosofia pela UFPR, em períodos diferentes. Foi selecionada para o curso de História e Direito na Pontifícia Universidade Católica do Paraná, com bolsa integral e na Universidade Positivo no curso de Direito, também com bolsa integral. Na Universidade do Contestado, no curso de Direito.

“Contei todas as minhas aprovações, os trabalhos voluntários que fiz. Montei minha trajetória acadêmica, comprovando que de fato, embora eu viesse de uma cidade do interior, de escola pública, sempre tive interesse em me desenvolver em relação aos estudos, evoluindo minha vida acadêmica e profissional”, narra.
Géssica juntou todos seus certificados e encaminhou junto com seus documentos para fortalecer sua carta de motivação. “Achava importante comprovar, que mesmo com situações adversas, fui uma aluna interessada”, conta.

O processo de seleção da Universidade de Harvard é diferente, não é como no Brasil, onde o aluno precisa fazer uma prova objetiva, com questões e respostas. O critério para seleção dos estudantes é por competência, eles analisam toda documentação, com a parte de motivação do aluno e verificam os alunos destaque nesse sentido. Quando foi selecionada, Géssica recebeu um e-mail informando sua aprovação, e começou a participar do programa, que tem cinco etapas, envolvendo cursos e mentorias com os professores da Harvard Business School.

Por conta da pandemia, as atividades estão sendo feitas de maneira online, impedindo a etapa onde os alunos viajam para Boston, nos Estados Unidos. Quando concluir o programa, Géssica receberá a oportunidade de fazer estágio em empresas que são parceiras do programa.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email