sábado, 19
 de 
junho
 de 
2021

Matrículas na Educação Profissional crescem 17% entre 2017 e 2018

Colégio Agrícola da Lapa é uma das instituições que se destacam na realização da Educação Profissional na região. Foto: Divulgação/Colégio Agrícola da LapaO número de alunos matriculados na modalidade de Educação Profissional em instituições de ensino do suleste paranaense teve um crescimento de 17% entre os anos de 2017 e 2018. É o que revela um levantamento feito pela reportagem junto aos dados da Sinopse Estatística da Educação Básica, do Ministério da Educação.

Conforme a pesquisa, apenas os municípios de Campo do Tenente, Fazenda Rio Grande, Lapa e Rio Negro dispõem de escolas que ofertam a Educação Profissional, modalidade de ensino em que sua oferta se dá por meio de Cursos Técnicos, de Formação Inicial e Continuada – FIC (qualificação) e de Formação de Docentes. Somados os quatro municípios, em 2017 eram 2.384 matrículas, saltando para 2.784 em 2018.

Uma das instituições de ensino que oferecem este gênero educacional é o Colégio Estadual Victor Bussmann, em Campo do Tenente, com atividades voltadas à Formação de Docentes. “É um curso de formação que habilita para a docência na Educação Infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental. O que diferencia do ensino regular é a matriz e as disciplinas, além da duração do curso”, detalha a diretora Angela Maria Pietruka.

De acordo com Angela, as atividades envolvem turmas no período matutino e com estágio obrigatório à tarde. “Nesta formação, as disciplinas envolvem conteúdo específicos e da base comum curricular, com duração de quatro anos. Podem se matricular os alunos egressos do Ensino Fundamental, ou seja, que terminam o 9º ano”, aponta.

O diretor do Centro Estadual de Educação Profissional Agrícola da Lapa, Eros Berg Ferreira do Amaral, detalha a dinâmica de ensino no local. “Temos o ensino médio integrado e além das matérias da base comum, há áreas específicas da atividade agrícola. O aluno também participa de aulas práticas, aplicando tudo o que aprende em sala de aula, e também realizam estágios na área”, pontua.

Para Amaral, a modalidade de Educação Profissional tem muito a contribuir na formação do jovem. “É uma forma de auxiliar com o aprendizado daqueles que já atuam no campo e pretendem avançar neste setor, seja ajudando a família ou prestando vestibular para trabalhar em outros ramos”, finaliza.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email